Quem sou eu?

Danka Maia é Escritora, Professora, mora no Rio de Janeiro e tem mais de vinte e cinco obras. Adora ler, e entende a escrita como a forma que o Destino lhe deu para se expressar. Ama sua família, amigos e animais. “Quando quero fugir escrevo, quando quero ser encontrada oro”.

Com Que Letra Eu Sou? por Danka Maia



Nesta semana, mais precisamente na quarta ou quinta-feira, agora não me recordo bem. Eu estava atualizando o blog e postando em minha página quando dei aquela olhada básica no mural do amigos do Facebook. E para minha surpresa, grata surpresa deparei-me com uma atitude que me fez refletir. Minha amada amiga Professora de Língua Portuguesa, Shirley Couto colocou esta foto:




Parei imediatamente e um mar de sensações e emoções me inundaram. Recordo ter dito em seus comentários: Você me fez refletir amiga Shirley Couto!- E fez mesmo! Imediatamente comecei a viajar no tempo. Lembrei de mamãe pegando em minha mão e com tamanha dedicação dentro da sua pouca leitura me ajudar a fazer o "a" redondinho como ela dizia. Me fez ir ao tempo da expectativa do carteiro passar para ver se tinha alguma carta do parentes de Minas Gerais, Rio de Janeiro ou Sergipe e dos amigos que infelizmente por percalços da vida eu perdi o contato completo e vejam a ironia, em plena era digital não consigo encontra-los. Revivi aquelas emoções, a surpresa, o friozinho na barriga. E por falar em frio na barriga, que dizer dos bilhetinhos apaixonados na época da escola? Da brincadeira de sentarmos todos numa fila e um passar para o outro numa atividade passada pela Professora a frase: "Quer namorar comigo?" .
 
 Daí, fui para os cartões de aniversário e natalinos. Quando a gente tinha o cuidado de pensar no que ia escrever pois queria colocar ali um bocadinho do nosso amor,do nosso carinho para aquela pessoa querida.Do zelo da escolha ,desde a figura, ao capricho da letra. Tudo desembocava nela: A Senhora Letra.

E então divagando,fui a uma lembrança tão especial e que muito me emocionou. No Ensino Médio, perdi uma das minhas melhores amigas. Renata.Uma vez vindo da atividade física(que eu odiava),sem querer desloquei meu pulso. E em seguida fomos para aula de Língua Portuguesa, como meu pulso doía muito, ela carinhosamente pegou meu caderno e copiou toda matéria para mim. E até hoje guardo aquele caderno.E de todas as recordações que tenho da Renata, do seu sorriso marcante, o poder de rir com os olhos, a alegria de viver, as duas páginas escritas com sua letra arredondada e linda, é a única lembrança física que me restou dela. E ai a gente pensa: Que importância tem a letra da gente!
Como pudemos esquecer tanto dela? A letra nos identifica,nos conta emocionalmente, nos trás muito mais que contornos, a letra nos dá sopros do existir dentro da vida. Por isso, decidi escrever esse módico artigo, Inspirado na bela e nobre atitude da amiga Shirley Couto. Essa é a minha letra:



E a sua, como é? Com que letra você é o ser humano que é? E que como nós acabou se escondendo nos teclados e ocultando dos seus amores e amigos o carinho que só a letra pode nos dar.
A letra é um poema diluído em vogais e consoantes,mas ainda sim uma poesia que só vai existir se alguém escrever e se alguém ler.


Boa reflexão!


Obrigada Shirley.
Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Página inicial

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agora no Blog!

Total de visualizações de página

Danka na Amazon!

Siga Danka no Instagran

Danka no Wattapad

Curta Danka no Facebook!

Seguidores

Confissões Com Um "Q" De Pecado

Entrevistas

Danka no Google+!

Danka no Twitter

Danka no Skoob

Seguidores

Arquivo do blog