IKANATON no Amazon!Confira!

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

A MALDIÇÃO DO QUADRO DO MENINO CHORANDO por Danka Maia


 

Confira a história da pintura amaldiçoada que chegou a se tornar alvo de campanhas públicas na Europa.





Todo mundo gosta de histórias inexplicáveis, e o chamado “quadro do menino chorando”, pintado pelo italiano Giovanni Bragolin, acabou se transformando em lenda urbana durante a década de 80, justamente por estar envolto em uma aura de mistério. O artista, na verdade, se chamava Bruno Amadio, e ficou famoso por retratar uma série de meninos e meninas chorosos.



Como toda lenda que se preze, a do quadro de Amadio está recheada de contradições, eventos inexplicáveis, controvérsias e uma pitada de ocultismo. O artista chegou a frequentar uma academia de artes de Veneza — sua cidade natal — e uma das versões da lenda, que começou a circular na Inglaterra, conta que o quadro que acabou ganhando fama de “amaldiçoado” foi um retrato que Amadio fez do próprio filho.




VERSÃO INGLESA

 




O garotinho morria de medo do fogo e, para fazê-lo chorar para a pintura, Amadio segurava fósforos queimando diante de seu rostinho. Ainda de acordo com essa versão da lenda, o menino teria falecido algumas semanas após a obra ser finalizada, e o artista durante um incêndio terrível em sua casa — só para constar, segundo os registros, o italiano nasceu em 1911, e veio a falecer apenas em 1981.

 



A lenda acabou se consolidando depois que o retrato do menino passou a ser produzido em série na Inglaterra, e diversos incêndios registrados no país foram atribuídos à maldição do quadro, que era um dos poucos itens encontrados intactos após os incidentes. Um conhecido tabloide britânico chegou a publicar um extenso artigo sobre investigações relacionadas à pintura, e inclusive foram organizadas campanhas públicas para destruir as figuras.




VERTENTES DA HISTÓRIA




Além da história que circulou — e foi consolidada pelo jornal — na Inglaterra, também existem versões não menos interessantes, incluindo as demais crianças retratadas por Bragolin. Uma delas conta que o pintor, passando por dificuldades ao não conseguir vender seus quadros, decidiu fazer um pacto com o diabo. No entanto, em vez de oferecer a própria alma no “negócio”, o artista teria vendido as dos compradores de suas pinturas.


Outra versão conta que as pinturas contariam com várias mensagens subliminares, e algumas das crianças retratadas apareceriam com as pupilas dilatadas. O pintor inclusive teria confessado que a causa disso era que os pequenos estariam mortos, e que eram crianças reais que haviam sido abduzidas para serem entregues ao demônio.

 


Existe ainda a história de que Bragolin, depois de fugir da Itália para a Espanha durante a guerra, teria usado como “modelos” as crianças que viviam em um orfanato local que foi — adivinhe! — destruído algum tempo depois em um terrível incêndio. Dizem também que o pintor teria pedido a todos os que tivessem obras suas que se desfizessem delas, e que teria inclusive dado uma entrevista a um famoso programa de variedades aqui no Brasil.

Nos anos 50 aconteceram muitos casos de casas incendiadas onde tudo ficava destroçado e queimado, cadáveres carbonizados e o curioso de tudo isto é que o quadro permanecia pendurado na parede sem um só arranhão.

Diz-se que ao olhar o quadro, as pessoas se sentem atentamente observadas pelo olhar terno do garoto, deixando qualquer um de cabelo em pé. Muitas pessoas possuem cópias deste quadro, mas é dito que ele só ataca àqueles que descobre que o quadro é encantado. Na noite, sob lamentos longínquos, o menino sai do quadro para atacar e matar as pessoas da casa simplesmente mostrando seu rosto endemoniado. Depois incendeia a casa com todos dentro e apaga assim a evidência de seu crime.

Além da má sorte e catástrofes supostamente causadas pelas reproduções da pintura, algumas outras maldições e curiosidades foram relacionadas a ele:

   1- Quem tinha o quadro, se quisesse, conseguia fazer um pacto com o demo à meia noite.

    2-Se o quadro for girado em noventa graus é possível ver uma figura monstruosa devorando o pequeno. Isto demonstra supostamente o caráter maléfico da pintura.

    3-A única forma de acabar com a maldição do quadro, é queimando-o.




RELATOS
           
Quando criança, lembro bem que uma vizinha da frente possuía um quadro exatamente igual a este, eles tinham um poder aquisitivo considerável, então o quadro era daquele grande, certa vez, enquanto a empregada arrumava a casa lembro do quadro encostado do lado de fora ao lado da porta, ele estava de ponta cabeça, estava sol naquele dia, observando, formava uma espécie de figura na sombra atrás do quadro, o problema é que a sombra projetada na parede não era escura, era como se fosse uma figura de outra pessoa, só que bem clara e definida como uma imagem de projetor, eu era muito pequeno mas aquela imagem não me sai da cabeça. Enquanto observava de minha casa aquele negócio estranho, alguém saiu da casa e pegou o quadro. A 'projeção', sumiu instantaneamente da parede. Curioso, fui até minha vizinha para ver se ele tinha algum vidro que pudesse ter refletido para a parede, mas não. A cor da tinta era um esverdeado bem escuro, impossível de refletir a qualquer coisa, mesmo que fosse uma luz muito forte. Pouco tempo depois, estranhamente esta família que possuía o ficando apenas com uma parte da casa que é enorme, ela existe até hoje aqui. Depois de quadro teve dois falecimentos, e perderam todos os bens que tinham, O quadro foi parar na garagem deles, nós brincávamos nessa casa, pois, meus irmãos eram amigos deles. Eu naturalmente adquiri medo daquele quadro. Meus irmãos sabiam disso, e uma vez em que estávamos todos reunidos brincando, para nos assustar um dos meus irmãos pegou o quadro e segurou ao contrário e veio andando em nossa direção, havia uma mesa noutro canto longe de todos, e para a surpresa inclusive de meu irmão, uma das pernas da mesa voou longe como se tivesse sido chutada por alguém, mas não havia ninguém perto, meu irmão assim como nós saiu correndo e gritando. Desde então, nunca mais entrei naquela casa.

R.C





Olha vocês podem até não acreditar nessa história dos quadros, mas essa história me persegue desde os 7 anos. Hoje tenho 37 e tenho absoluta certeza que esses quadros são malditos.Eu não sou uma pessoa muito supersticiosa mas é que tive muitas experiências ruins com este quadros. A nossa inteligência não nos permite que sejamos tão incrédulos porque não precisamos sermos religiosos para notarmos que existem coisas que trazem uma certa energia negativa. Uma pessoa da minha família esteve possuída apenas pelo simples fato de rasgar a imagem deste quadro não sei explicar antropologicamente o que é uma possessão mas acredite não é uma coisa que se faça piadas. Não sei se existe alguma força do mal em si, mas que estes quadros são um canal para que se desperte alguma coisa em nosso consciente disto não tenho dúvida. Ninguém é obrigado a acreditar em histórias que não viveu eu somente acredito nisto porque vivenciei algumas coisas a respeito disto. Sei que existem coisas que um psicólogo, um antropólogo, poderá explicar mas nada irá me convencer que não há alguma coisa por trás destes quadros.

Por isso se você possui ESTES QUADROS eu aconselho a destruí-los imediatamente, pelos sim pelo não como diz o ditado "joi no creo em las brujas pelo que las hay las hay" Além do mais é uma pintura de péssimo gosto.





FotoCONFIRA ALGUMAS OUTRAS IMAGENS ORIGINAIS DO PINTOR





Foto

Foto

FotoNão se pode negar,essa história sempre foi no mínimo perturbadora.