Quem sou eu?

Danka Maia é Escritora, Professora, mora no Rio de Janeiro e tem mais de vinte e cinco obras. Adora ler, e entende a escrita como a forma que o Destino lhe deu para se expressar. Ama sua família, amigos e animais. “Quando quero fugir escrevo, quando quero ser encontrada oro”.

A CIGANA Por Danka Maia






O meu bailado me faz senhora,

 Meu piso é forte vai onde quero.

Trago na ginga os meus traçados,

Nos meus mistérios os sortilégios,

De uma mulher que sabe bem o que quer.



Bate comigo gadjó,                                                       

      Bate comigo!                                  

                 Vem no compasso dos meus pés,                                                   

Que são fiéis ,                                 

As tradições,                                                     

Onde os leões,                                

Viram fiéis!    

                                                      



Roda comigo, vem no meu ombro, olha no meu olho, que aqui que eu te domo!





     Mostra tua força,                                    

                   Vibra teu laço,                                                                                

E faz o que eu faço,                                    

     No gingado dos meus pés!                                                              

Baila comigo!                                      

    Abala os trovões,                                                                

Ignora os grilhões,                                     

Pisa comigo!                                                                 Mostra teus dons!      







Sangue calon é diferente, mescla o ousado,

Não teme o incoerente

 Buli com a rosa, dança com sombra,

 Zomba do riso, tem cheiro de gente.

    Vem cá comigo, meu gadjó!

                                     

Aproveita que a gira logo alcança.



E a tua Dona se vai,



             Sim, tu perderás está cigana.

             

Envolve comigo.



Faz deste derradeiro segundo, teu mundo,



Porque quando se aquietar está batida,



                                                                          Irá com ela meu coração.



Ai Não... Se foi!

E Agora?Espera.

Que a tua alma...



Jaz na minha mão!

Diri Diri Assim Kerdjan-Romanyi Gyipsies







Beijocas Galera!













Compartilhar:

Desejos de um Mafarrico

Compartilhar:

“Larguei a carreira de executiva para ensinar as pessoas a andar de bicicleta”

A paulista Clauida Franco, de 54 anos, that NÃO sabiá pedalar e, há cinco, trocou uma Carreira de cabelo executiva pedal (Foto: Divulgação)
"Quando eu era adolescente, nos ano 1970, um tio me Disse Que OS Computadores  ERAM uma Profissão fazer futuro.Comecei a trabalhar Há com informática AOS 18 ano e Segui firme de 1979, um 2011. Sempre fui Muito focada Cresci e rápidamente NAS Empresas em that trabalhei, Como IBM, Microsoft e HP.
Logo apos me separar, começei hum Viajar Pelo Brasil Para Dar Treinamento de Informática Empresas EM. Como executiva, estava sempre maquiada e meu "uniforme" era terninho, Salto alto é Colar de Pérolas. Encarava Jornadas de 12 a 14 diarias Horas, mas me Sentia realizada. Aos 30, me casei Novamente, com Outro colega de profissão. Eu Já ganhava BEM EM UMA das Melhores Empresas do Mercado de informática.  Casei Aos 22 anos, com hum colega de Trabalho, MESMA Época em Que Virei gerente. NÃO ganhava Tão Bem no Início, principalmente Porque imperava hum machismo  Forte São Nenhum segmento. Cheguei a perder hum carga de Direção Para um rapaz Muito Menos Que Eu capacitado. Meu Casamento Só Durou hum ano e Meio. Era Ele 15 Anos Mais Velho do Que eu e tínhamos Interesses Diferentes. Mas o Divórcio foi amigavel e, claro, Nunca dependi de Pensão DELE.
"Sozinha na garagem do Prédio, tentava me Equilibrar Sobre a moto. Levou Três dias"
Focávamos no Trabalho e, sinceramente, Não Lembro de ter Desejado Ser Mãe. Dizia-me that NÃO estava PREPARADA OU NÃO that tinha Recursos Pará CRIAR Uma Criança comconforto e deixava ESSA Questão 'para DEPOIS'. Os Filhos NÃO vieram e me arrependo NÃO. Um dia, em Uma Reunião, o presidente da Corporação parágrafo um qua eu trabalhava me Disse: 'VOCÊ ESTÁ Pronta parágrafo presidir QUALQUÉR companhia'. Era o aval para buscar meu sonho. 
Em 1997, a EAo 36 anos, abri Minha Própria Empresa de Tecnologia de Informação (TI), com foco em Educação. Me dediquei Muito e vivi a Vida de Empreendedora com gosto comeu that Sofri Dois Grandes Impactos que me fizeram Dar Uma freada na Rotina de Trabalho e Repensar TUDO: Em 2005, meu amado pai faleceu Inesperadamente e, não SEGUINTE ano, apos MAIS de 15 anos de Casamento. Com Tantas Mudanças repentinas e bruscas, Parei Paragrafo Pensar Sobre O Que Realmente importava na vida. Embora gostasse do Trabalho, estava desgastada e com Cada Vez Menos Interesse Pela informática. Sempre pratiquei Esportes no clube que frequentava, comeu esgrima, remo e windsurf eu fiz . Mas Nunca tinha pedalado. Nao sei exatamente por qué, Acho Que POR falta de Oportunidade MESMO.  
Estava com Quase 49 when uma bicicleta  Entrou na minha vida. Em outubro de 2009, um amigo me convidou parágrafo Participar de Uma Competição de ciclismo de montanha na Patagônia. Topei na hora - sempre adorei Desafios. Mas 'Esqueci' de Contar-LHE Que Sabia NÃO NEM subir NUMA bicicleta. Entrei nenhum site da Competição e fiquei maravilhada comas fotos do Percurso, that cruzaria a Fronteira do Chile coma Argentina Ao Longo de Três dias pedalando. 
"No topo da serra, a Só de mochila, me Sentir realizada"

Comprei um Passagem, reservei OS Hoteis e fiz uma Inscrição. Só me restava Aprender a pedalar. A ideia era ENCONTRAR UM mas do professor, DEPOIS de tentar Mais de 20 Empresas, Não consegui hum Único tutor disposto a ensinar uma mulher adulta a pedalar. Ser Decidi Autodidata. Minha Primeira Tentativa foi engraçada. Comprei Uma bicicleta e fui Sozinha Pará uma garagem fazer meu Prédio. De: Não conseguia Sequer me Equilibrar. Tentava Avançar, mas era Impossível. Caia Todo o ritmo. DEPOIS dias de Três, Finalmente coloquei uma bicicleta em Movimento.  
Em SEGUIDA, conheci hum clube de ciclismo de Montanha em Mairiporã, o Tribo do Pedal Selvagem. Sem Primeiro passeio de that participei, UMAs Caí 15 vezes. QUANDO percebi fazer Que se tratava Aquele tal mountain bike, me desesperei e chorei. Tinha cinco meses parágrafo me preparar os antes de embarcar rumo à Argentina. Estava em Pânico e, AO MESMO tempo, Totalmente determinada. 

Uma Relação com meu foi Parceiro de prova Muito estressante. Era nitido Que Eu - Totalmente iniciante, ansiosa, com medo e vergonha de errar - NÃO sabiá pilotar um Aquela Situação bicicleta para. Ficava
 assustada  com Aquele monte de Atletas, com uma Velocidade e com um 'Obrigação de Completar uma prova'. Me atrapalhava com como marchas, ficava apreensiva e errava AINDA Mais. Documentei O Progresso em Uma Página na internet that foi se popularizando à Medida Que a prova se aproximava. E, aí, desistir da Viagem Passou uma Opção Ser NÃO UMA. O tour da Patagônia Aconteceu em fevereiro de 2010, com largada na Belíssima Cidade de San Martin de Los Andes. A prova tinha 260 quilómetros, Divididos em Três Dias de Competição.
Meu Parceiro Nao tinha Paciência Erros com MEUS. Brigamos MUITAS vezes, chorei, humilhada. Rompemos uma amizade DEPOIS Disso. Ao MESMO tempo, percebi Que estava Realizando hum sonho e, no ultimo dia de prova, fui Tomada Por Um Sentimento Muito intenso de Poder. Pedalei com Força, como nunca havia Feito antes. Sentia-me Bem E de forma Olhava Frente para, feliz, rumo à Linha de chegada.   
"No topo da serra, a Só de mochila, me senti realizada", Diz empresária (Foto: Divulgação)

Aí, Não Parei mais.O esporte Fazia Bem parágrafo O Corpo e Pará uma alma. Ganhei massa muscular e fôlego. Fiquei COM Pernas torneadas, defini o abdome e Os Braços, Além de turbinar Minha Resistência física e mental. E melhorei Muito Minha  autoestima. Em 2010, minha Cabeça girava em torno da bicicleta.
A that each Subia Montanha me Sentia Mais conectada com uma Modalidade. Era inegável: Não conseguia Mais focar 100% nsa Negócios. Um dia, embarquei núm Trajeto de 300 quilómetros Passando Pela Serra da Bocaina (entre OS Estados do Rio e de São Paulo). Nenhuma topo da Montanha, a Só com Uma Pequena Mochila nas costas, me senti uma mulher realizada Mais do Mundo. Naquele instante, entendi Que precisava de Pouco Para Ser Feliz. Era eu, minha bicicleta eo Mundo Inteiro Para Ser Explorado Sobre Duas Rodas.  

Fazia de forma Voluntária, POR prazer. Logo tinha 20 alunas! Bolei, ENTÃO, um Método de ensino baseado no meu
 autoaprendizado, e fui aperfeiçoando com o ritmo. Dei ênfase à parte emocional, na necessidade de Superar o medo, JA Que MUITAS PESSOAS TEM pavor de CAIR da bicicleta. Foi o divisor de Águas da minha vida. Começei a escrever Pequenos Textos para Dividir uma Experiência com OUTRAS Mulheres é Assim criei, em janeiro de 2011, o blog de ​​Ciclofemini. MUITAS se identificaram com Minha História de Ser uma mulher adulta Aprendendo Esse esporte novo e pediram that como ensinasse a pedalar. Topei.
"Abandonei o Padrão de executiva. Desapeguei"

ASSIM percebi uma Oportunidade de se mudar minha vida Como hum TODO. Fechei Empresa Minha. Tinha Uma reserva Financeira parágrafo Esperar uma Escola de Bicicleta Ciclofemini decolar, estava Tudo PLANEJADO. Mas Minha Mãe foi diagnosticada com Alzheimer e Toda a Poupança se esvaiu em poucos meses. Minha Situação Financeira ficou muito frágil. Vendi hum caminhão e hum Imóvel parágrafo Continuar Pagando Contas como fazer dia a dia. Tambem passei a me dedicar Totalmente as aulas. Agora Mais que Nunca ELAS seriam Minha nova fonte de renda. Estava available parágrafo QUALQUÉR Horário: bastava aparecer Alguém nsa parques Ibirapuera e Villalobos, em São Paulo, Onde me concentrei, e Lá eu ensinaria a pedalar.  

 

Claro Que Minha Mudança Profissional causou estranhamento NAS PESSOAS. Ouvi de amigos that meu Negócio NÃO ia Prosperar e Que Eu Não quería Mais Trabalhar. Alguns me chamavam de "fiscal da natureza", POR dar tanto valor a
 Trilhas  ea ESSE Meio de transporte alternativo VEM that Ganhando Força nsa Últimos ano. O Fato E that Estamos indo PARA O quinto ano da Escola de Bicicleta Ciclofemini. Em ritmo Pouco, uma agenda ficou concorrida. Nenhuma Início, a escola recebia Só Mulheres Que NÃO sabiam andar de bicicleta. DEPOIS vieram Homens also, Crianças e Atletas qualificados. PESSOAS COM 25 a 30 ano MUITAS vezes Acham Que É Tarde Para Começar. Eu, Que aprendi AOS 48 anos, Estou Mais Na Ativa fazer that never e participo de Competições.  
Minha Condição Financeira NÃO ESTÁ NEM Perto fazer that Já foi hum dia, abandonei o Padrão de executiva. Mas Meus Valores mudaram, é esse foi also O Segredo parágrafo NÃO falir. Uma tarde ao ar livre E Incrível e Energética, enquanto Uma nenhum e compras de cara e nada Saudável. Cicloviagens de Quatro dias com a roupa do Corpo e Uma mochila Que NÃO PODE Passar de 3 Quilos São despreendimento total. Mas continuei Trabalhando duro - de domingo a domingo, de 10 a 12 horas POR dia. 
"Profissional Em Meio à Virada de mesa, Achei um amor. Falamos uma língua MESMA"

Atualmente, 60% da Minha renda VEM das aulas, o restante, da Realização de Palestras  motivacionais em oficinas e Empresas Sobre O Mundo da bicicleta (Cuidar Como, Como se tornarumciclista urbano, cicloviagens, Entre Outros temas). Minha Mãe ESTÁ COM 77 ano e E Totalmente Dependente de Cuidados Médicos. AINDA sofro demais com ISSO, pois éramos Muito ligadas.  Em Meio A Minha Virada de mesa Profissional encontrei hum de amor. O Publicitário Marcello Ruivo, 45 anos, de e meu companheiro, meu Sócio e professora da escola. Conhecemos nºs em Uma palestra that dei, em hum evento Organizado Por uma fabricante de Peças de bicicleta para, a Shimano, na Casa das Rosas, em São Paulo, em 2011.

 

Marcello trabalhava TAMBÉM COM bicicletas e era hum adulto Filhos sem, Como eu. Com um Ciclofemini Bombando e eu Sozinha Para atender Todo Mundo, de ele se ofereceu parágrafo me Ajudar, JA Que tinha algumas horas livres na agenda. Até Que chegamos a hum Ponto em that also Marcello Teve de Fazer SUA ESCOLHA. Conclusão: Virou meu
Sócio  EO professora Mais divertido da escola. Juntos, aperfeiçoamos O Método de Ensino de da Pedalada COM Técnicas de neurolingüística e Metafísica, parágrafo Diminuir O Medo ea Ansiedade dos Alunos. ELE estava Entre OS inúmeros Atletas PRESENTES e, AO da Apresentação Final, Assim Como VARIAS OUTRAS PESSOAS, se aproximou, trocamos algumas Palavras e ELE Levou Meu Cartão. Eu nao estava Aberta parágrafo hum Relacionamento, Nem percebi Que ELE havia ficado Interessado em Mim - mas ELE Diz Que foi de amor à Primeira Vista. Passamos um trocarte e-mails e marcamos hum Encontro - Claro Que foi Uma pedalada. Entao prestei Mais Atenção Nele e acabei me apaixonando also.

Trabalhamos Próximos de Todos os dias, das 5 da manhã até 8 da Noite. Por enquanto, optamos POR NÃO morar juntos. Mas TEMOS Planos. Falamos uma língua MESMA, amamos o Trabalho Que fazemos, amamos NÃO Só pedalar, mas also pedalar juntos. Marcello e Mais Que fazer dedicado à escola ea MIM. E Um Verdadeiro companheiro, Parceiro de verdade. He also me ensinou a ver a vida de forma diferente. Nossa frase preferida E: Mais Rápido vamos sozinhos, mas juntos vamos Mais longe ".  
Compartilhar:

“Fui chefe do tráfico na Rocinha, superei o vício em cocaína e virei escritora”

Raquel Oliveira, that concluiu OS Estudos e se formou pedagoga Apos se livrar do vício (Foto: Reprodução / Facebook)


"Eu Tinha 11 años when conheci o  Naldo. Foi em hum barracão de jogo do bicho, era that O Sistema de Poder na Época, na Década de 70, favela da  Rocinha. Um tio trabalhava DELE PARA O meu padrinho, era that o banqueiro e de ele levava Comida para o tio.

COM 10 anos, Naldo ficava me olhando Por uma Janela enquanto eu trabalhava limpando como  armas.   Me achava bonita. ELE era hum menino franzino. Tinha uns olhões pretos com Cílios Longos que me encantavam. Era tímido e me Seguia Pelos becos do Lugar when eu saia parágrafo fumar maconha.  Nunca tiva Família. Sou filha de pai Única  pedófilo  e do mãe ausente. Fui abandonada à sorte Própria AOS 6 anos. Aos 9, fui vendida e, Por sorte OU Força do destino, em vez de servir à Prostituição, fui PREPARADA Para Ser bandida  de armas. Naldo havia Sido apadrinhado cabelo traficante Denis, o Maior Que a Rocinha Já Teve, AOS 11 años. Denis era o Seu Herói. Naldo quería Ser igual a Ele.


Nessa Época, viver sem Meio do tráfico de drogas era normal. Eu Nunca senti medo. A Destruição da Imagem that tinha fazer meu pai é ser vendida Como Uma Mercadoria tinham me marcado Muito. Algum ritmo DEPOIS, começamos a namorar e eu amava o jeito de me amar Naldo. Me segura Sentia, pertencia Finalmente um grupo hum, tinha Uma Família com quem de pódios Contar, era feliz. Ser respeitada e ter Minha Integridade moral e física tranquila e Preservada also era Tudo parágrafo MIM. Ser mulher de traficante era naquele ritmo de Como Ser Uma socialite Hoje. As Mulheres furavam como camisinhas parágrafo engravidar de um. Eu era ameaçadora Nao. Éramos Como Crianças Descobrindo hum novo mundo juntos. Nenhum de Nós tinha vivido hum de amor Como Aquele antes.  

  
Raquel AINDA Jovem: ". Era Viver no Meio do tráfico de drogas normais da UE Nunca senti medo" (Foto: Arquivo Pessoal)

Eu acordava e Esperava Ouvir o som da HK de Naldo, that de ele chamava de Jovelina. Era hum Sinal de that ELE tinha Acordado. Subia o morro Até a casa DELE e levava comida. QUANDO escurecia, eu ia trabalhar Há COM ELE na boca de fumo OU limpava como armas. Tínhamos Uma Casa linda juntos. Tudo foi Destruido Durante Uma Operação da Polícia. Fotos, joias, Roupas, Tudo. Todo o bando fugiu parágrafo São Gonçalo, parágrafo Onde fui Semanas DEPOIS. Vivemos num Esconderijo Até Que OS Policiais nsa encontraram de novo. Chegaram em hum grupo grande, com granadas, armamento pesado. OS Gritos Eram terríveis, parecia um that Porta do inferno Aberta tinha Sido. Na fuga, procurava o Barulho da Jovelina, Mas Não Ouvi Mais.  
 
"Minha Própria montei quadrilha e me fiz Respeitar seguindo como leis do Sistema. Nove meses DEPOIS, Eram 19 Homens Sob o meu Comando".
Do Nosso bando todos morreram. Eu nao quería Mais viver, mas a droga me anestesiava. Alguém Veio me ver com 300 gramas de cocaína, maconha, armas e INSTRUÇÕES Para Que eu continuasse O Trabalho de Naldo. Nunca planejei ISSO, ELE mas sim. Tentei Fazer página Outros Arranjos, Mas Não foi Possível. Assumir ESSA posição foi o jeito Que encontrei de Manter meu amor vivo. Parti NUMA Viagem louca e suicida. Em Verdade, buscava a morte. De: Não tinha nada de "Rainha do tráfico", ESSE glamour that como PESSOAS imaginam. Era Muito Trabalho. Uma especie de utopia parágrafo MIM. Reerguer o Poder Paralelo da Minha Comunidade, Manter a Ordem e Preservar o Sistema, moradores de favelas ea OS Possíveis contra invasões. Começei fazer nada. Montei Minha Própria quadrilha e me fiz Respeitar seguindo como leis do Sistema. Nove meses DEPOIS, ERAM 19 Homens Sob o meu Comando. DEPOIS de hum ano, perdi uma Conta. Eram MUITAS PESSOAS.  
  

  
A escritora carioca, Descoberta de Durante UMA das Edições da Flupp, a Festa Literária das Periferias (Foto: Arquivo Pessoal)

Vivi Situações dificeis de aceitar e suportar. Saí e voltei fazer tráfico de Mais Uma Vez, ea definitiva Creio Que foi hum despertar espiritual. De: Não tinha a minima ideia that meu USO abusivo de drogas Era Uma Doença.  
Um em that Recuperação me encontrou nenhum momento eu mais precisava. Foi em 2005 e eu estava gravemente Doente. Hoje sei that uma Dependência química de e incurável. O Que mantém hum dela dependente químico Saudável E a Recuperação e e Um Dia de Cada Vez. Vivo Só por Hoje.  
"Começei a escrever Recuperação Durante Minha fazer vício. Como Eu Não conseguia dormir nsa Três Primeiros meses, passava como Noites Escrevendo"
Começei a escrever Minha Durante Recuperação  do vício. Meu primeiro conselheiro, vendo a Minha dificuldade em Minhas entendre Emoções, recomendou-me escrever hum Relatório das Mais significativas. Me deu hum caderno de Presente, Onde eu Deveria escrever Todas como Emoções that senti naquele dia e As minhas Reações. A Minha Relação com a literatura e Um Caso de amor. A Patroa da Minha Mãe n'uma casa de Copacabana Gostava de ler parágrafo MIM QUANDO eu Pequena era. Eu Adorava, MESMO NÃO Entendendo Muita Coisa. Como Eu Não conseguia dormir nsa Três Primeiros meses da Recuperação, passava como Noites Escrevendo.  FOI ENTÃO que me descobri poeta. DEPOIS, vieram OS contos com SENTIDO moral, o Desejo de voltar AOS ESTUDOS. Mas O Que reafirmou meu Desejo POR escrever foi uma Descoberta na Flupp [a Festa Literária das Periferias], O Que consolidou Definitivamente Minha veia Literária.
  

 
A capa de "A Número Um", romance baseado NAS Memórias de Raquel Que pretende escrever Uma trilogia (Foto: Divulgação)

Meu primeiro romance, "A Número Um" [Ed. Casa da Palavra], E EM baseado Fatos reais. Tem Muito da minha vida e pouquíssima ficção. De: Não poderia reproduzir fielmente O Que Aconteceu, Diálogos that aconteceram há 30 anos, POR ISSO NÃO E UMA autobiografia. Sou respeitada Hoje na Rocinha Por minha Trajetória de vida, Por ter chegado Até here lúcida, intacta, Saudável. Por ter sobrevivido Onde Tantos morreram e Ser uma mulher that Achou Outro Caminho e deu Outro Sentido A SUA vida. Tenho Três Filhos e enguias SABEM de Toda a Minha História.    Sem momento, tenho Alguns Projetos literários em andamento. Estou Escrevendo hum o romance novo Que É O Livro Três fazer that chamo da "saga da Bonitona". Vou relançar meu Livro de poesias, o "Só Por Poesias", Além de Dois Outros, Sendo hum DELES para Crianças. Diante de Tudo Que vivi, Não Acredito Que a legalização das drogas SEJA Possível no Brasil. São muitos OS Interesses e nenhuma Vontade Política. Seria Preciso MUITAS Ações conjuntas, Legais, Sociais e Educacionais, parágrafo Tirar uma droga de cena da vida das Pessoas. Tirar como armas fazer Cenário urbano. CRIAR condições Para Que o tráfico Deixe de Ser Uma Opção de Trabalho, de Meio de vida, Onde SEJA para, na favela OU no Asfalto ".
Fonte Marir Claire
 

 

  
Compartilhar:

Ilusões de ótica que vão fazer o seu cérebro “bugar”

Enfim, sem mais, vamos a uma bela série de imagens providencialmente escolhidas para esculhambar com a sua massa cinzenta — pouco antes de provavelmente lhe arrancar algumas risadas.

Fingimos que fomos e vortemos

O bebê mais velho do mundo

 “Sim, eu lambo as minhas partes pudendas, e daí?”

Afinal, quem está segurando o maldito guarda-chuva?

“Talvez se flutuar eu chame  mais atenção do que esse celular”

Seja bem-vindo — só evite pisar nos ornamentos do tapete!

O bebê mais velho do mundo, o retorno

Um aeroporto “interno”

“Lá vem a noiva, toda molhada...”

Dicas de culinária centauriana


“Me v“Meu forte são as jogadas aéreas”

Olhe uma vez... E, então, olhe novamente

“Upside inside out!”

Predisposição genética para o basquete?

Chega-se a esta ilha...

... Apenas com este navio

Aparelho digestivo de mão dupla

Dedicação de 110% na academia

“Não alimentar os animais” deve ser o menor dos problemas aí

Onde começa um e termina o outro?

ê... Não me vê mais!”Última tendência: meias três quartos de um metro da Harley-Davidson

É o que dá malhar só os braços e esquecer das pernas

“Recomendaram-me ‘Gillette para o corpo masculino’”

 “Pocotó, pocotó, pocotó...”

Compartilhar:
←  Anterior Proxima  → Página inicial

Agora no Blog!

Total de visualizações de página

Danka na Amazon!

Siga Danka no Instagran

Danka no Wattapad

Curta Danka no Facebook!

Seguidores

Danka no Google+

Confissões Com Um "Q" De Pecado

Entrevistas

Danka no Google+!

Danka no Twitter

Danka no Skoob

Seguidores

Arquivo do blog