Boto: O Prazer Vem Das Águas no Amazon!Confira!

segunda-feira, 30 de junho de 2014

OBRAS DE CECÍLIA MEIRELES


Motivo

Cecília Meireles


Eu canto porque o instante existe e a minha vida está completa. Não sou alegre nem sou triste: sou poeta. Irmão das coisas fugidias, não sinto gozo nem tormento. Atravesso noites e dias no vento. Se desmorono ou se edifico, se permaneço ou me desfaço, - não sei, não sei. Não sei se fico ou passo. Sei que canto. E a canção é tudo. Tem sangue eterno a asa ritmada. E um dia sei que estarei mudo: - mais nada.


Timidez

Cecília Meireles
Basta-me um pequeno gesto, feito de longe e de leve, para que venhas comigo e eu para sempre te leve... - mas só esse eu não farei. Uma palavra caída das montanhas dos instantes desmancha todos os mares e une as terras mais distantes... - palavra que não direi. Para que tu me adivinhes, entre os ventos taciturnos, apago meus pensamentos, ponho vestidos noturnos, - que amargamente inventei. E, enquanto não me descobres, os mundos vão navegando nos ares certos do tempo, até não se sabe quando... e um dia me acabarei.

Primeiro Motivo da Rosa

Cecília Meireles
Vejo-te em seda e nácar, e tão de orvalho trêmula, que penso ver, efêmera, toda a Beleza em lágrimas por ser bela e ser frágil. Meus olhos te ofereço: espelho para face que terás, no meu verso, quando, depois que passes, jamais ninguém te esqueça. Então, de seda e nácar, toda de orvalho trêmula, serás eterna. E efêmero o rosto meu, nas lágrimas do teu orvalho... E frágil.


Tu Tens um Medo

Cecília Meireles
Acabar. Não vês que acabas todo o dia. Que morres no amor. Na tristeza. Na dúvida. No desejo. Que te renovas todo dia. No amor. Na tristeza Na dúvida. No desejo. Que és sempre outro. Que és sempre o mesmo. Que morrerás por idades imensas. Até não teres medo de morrer. E então serás eterno. Não ames como os homens amam. Não ames com amor. Ama sem amor. Ama sem querer. Ama sem sentir. Ama como se fosses outro. Como se fosses amar. Sem esperar. Tão separado do que ama, em ti, Que não te inquiete Se o amor leva à felicidade, Se leva à morte, Se leva a algum destino. Se te leva. E se vai, ele mesmo... Não faças de ti Um sonho a realizar. Vai. Sem caminho marcado. Tu és o de todos os caminhos. Sê apenas uma presença.Invisível presença silenciosa. Todas as coisas esperam a luz, Sem dizerem que a esperam. Sem saberem que existe. Todas as coisas esperarão por ti, Sem te falarem. Sem lhes falares. Sê o que renuncia Altamente: Sem tristeza da tua renúncia! Sem orgulho da tua renúncia! Abre as tuas mãos sobre o infinito. E não deixes ficar de ti Nem esse último gesto! O que tu viste amargo, Doloroso, Difícil, O que tu viste inútil Foi o que viram os teus olhos Humanos, Esquecidos... Enganados... No momento da tua renúncia Estende sobre a vida Os teus olhos E tu verás o que vias: Mas tu verás melhor... ... E tudo que era efêmero se desfez. E ficaste só tu, que é eterno.

Noções

Cecília Meireles
Entre mim e mim, há vastidões bastantes para a navegação dos meus desejos afligidos. Descem pela água minhas naves revestidas de espelhos. Cada lâmina arrisca um olhar, e investiga o elemento que a atinge. Mas, nesta aventura do sonho exposto à correnteza, só recolho o gosto infinito das respostas que não se encontram. Virei-me sobre a minha própria experiência, e contemplei-a. Minha virtude era esta errância por mares contraditórios, e este abandono para além da felicidade e da beleza. Ó meu Deus, isto é minha alma: qualquer coisa que flutua sobre este corpo efêmero e precário, como o vento largo do oceano sobre a areia passiva e inúmera...

Inscrição na Areia

Cecília Meireles

pinterest

O meu amor não tem importância nenhuma. Não tem o peso nem de uma rosa de espuma! Desfolha-se por quem? Para quem se perfuma? O meu amor não tem importância nenhuma.


Reinvenção

Cecília Meireles
A vida só é possível reinventada. Anda o sol pelas campinas e passeia a mão dourada pelas águas, pelas folhas... Ah! tudo bolhas que vem de fundas piscinas de ilusionismo... — mais nada. Mas a vida, a vida, a vida, a vida só é possível reinventada. Vem a lua, vem, retira as algemas dos meus braços. Projeto-me por espaços cheios da tua Figura. Tudo mentira! Mentira da lua, na noite escura. Não te encontro, não te alcanço... Só — no tempo equilibrada, desprendo-me do balanço que além do tempo me leva. Só — na treva, fico: recebida e dada. Porque a vida, a vida, a vida, a vida só é possível reinventada.


Máquina breve

Cecília Meireles


O pequeno vaga-lume com sua verde lanterna, que passava pela sombra inquietando a flor e a treva — meteoro da noite, humilde, dos horizontes da relva; o pequeno vaga-lume, queimada a sua lanterna, jaz carbonizado e triste e qualquer brisa o carrega: mortalha de exíguas franjas que foi seu corpo de festa. Parecia uma esmeralda e é um ponto negro na pedra. Foi luz alada, pequena estrela em rápida seta. Quebrou-se a máquina breve na precipitada queda. E o maior sábio do mundo sabe que não a conserta.

O amor...

Cecília Meireles

pinterest

É difícil para os indecisos. É assustador para os medrosos. Avassalador para os apaixonados. Mas os vencedores no amor são os fortes. Os que sabem o que querem e querem o que tem! Sonhar um sonho a dois, e nunca desistir da busca de ser feliz, é para poucos.




OBRAS DE FERNANDO PESSOA




Hoje decidi colocar este poema de Alberto Caeiro, heterônimo de Fernando Pessoa, aqui no blog para que desfrutem.

Bendito seja o mesmo sol

Bendito seja o mesmo sol de outras terras
Que faz meus irmãos todos os homens
Porque todos os homens, um momento no dia, o olham como eu, 
E, nesse puro momento
Todo limpo e sensível
Regressam lacrimosamente
E com um suspiro que mal sentem
Ao homem verdadeiro e primitivo
Que via o Sol nascer e ainda o não adorava.
Porque isso é natural — mais natural
Que adorar o ouro e Deus
E a arte e a moral...


OUTROS...


VI - Pensar em Deus


Pensar em Deus é desobedecer a Deus,
Porque Deus quis que o não conhecêssemos,
Por isso se nos não mostrou...

Sejamos simples e calmos,
Como os regatos e as árvores,
E Deus amar-nos-á fazendo de nós
Belos como as árvores e os regatos,
E dar-nos-á verdor na sua primavera,
E um rio aonde ir ter quando acabemos! ...

Relógio, morre
Quem vende a verdade, e a que esquina?
Quem dá a hortelã com que temperá-la?
Quem traz para casa a menina
E arruma as jarras da sala?

Quem interroga os baluartes
E conhece o nome dos navios?
Dividi o meu estudo inteiro em partes
E os títulos dos capítulos são vazios...
Meu pobre conhecimento ligeiro,
Andas buscando o estandarte eloqüente
Da filarmônica de um Barreiro
Para que não há barco nem gente.
Tapeçarias de parte nenhuma
Quadros virados contra a parede ...
Ninguém conhece, ninguém arruma
Ninguém dá nem pede.
Ó coração epitélico e macio,
Colcha de crochê do anseio morto,
Grande prolixidade do navio
Que existe só para nunca chegar ao porto.


Fernando Pessoa (Poesias inéditas) - Deixei de ser aquele que esperava

Deixei de ser aquele que esperava,
Isto é, deixei de ser quem nunca fui...
Entre onda e onda a onda não se cava,
E tudo, em ser conjunto, dura e flui.

A seta treme, pois que, na ampla aljava,
O presente ao futuro cria e inclui.
Se os mares erguem sua fúria brava
É que a futura paz seu rastro obstrui.

Tudo depende do que não existe.
Por isso meu ser mudo se converte
Na própria semelhança, austero e triste.

Nada me explica. Nada me pertence.
E sobre tudo a lua alheia verte
A luz que tudo dissipa e nada vence.



domingo, 29 de junho de 2014

O Diário de Machine: INCOMPREENSÕES por Danka Maia








 
 
 
 

 

     Pois é Diário, uma unha inflamada me deteve por quase um mês. Sem poder escrever absolutamente nada inédito, e ainda não estou totalmente recuperada. Entretanto, e sempre há esse bendito MAS, eu sou uma pessoa que consecutivamente tenta parar e tentar entender o outro lado da questão,pois  é outra verdade: Toda história por mais corriqueira sempre possuí seus dois lados.E não é diferente nos casos da vida da gente. Tenho em mim a fé cristã, dela e nela vivo sem essas aberrações religiosas que nos deparamos por aí. Deus é muito mais simples que tudo isto. Não pense que estou levando o rumo desta conversa para outro lado não! Vai perceber que ainda estou falando dentro da mesma pauta.

Pois bem, dia a pós dia entre curativos, dores intermináveis, fiquei ponderando o motivo de não poder exercer uma das coisas que mais amo: Escrever. E nessas horas eu encho os ouvidos de Deus, questiono até os fios dos cabelos. Temos uma relação aberta, e nas madrugadas que tanto passo escrevendo, dessa vez passei pelas mesmas conversando com Ele. Sabe Diário, a vida tem umas atitudes tão duras com todos nós. Sim com todos, porque está em nós acharmos que a grama do vizinho é mais verde que a nossa, que a vida do outro é melhor ou mais fácil do que a nossa. No fundo não é, a de ninguém é, no fundo Diário cada um sabe onde lhe aperta o sapato. No entanto, falando das minhas, eu perguntei a Deus sobre o que Ele quer para mim? Tenho passado tantas dificuldades, tantas feridas abertas, tantas incompreensões que existe aquele momento em que a gente para e precisa parar, notei que eu não parava há tempos, e apesar das dores horrendas na bendita unha inflamada, percebi que na verdade quem queria um tempo comigo era Ele, uma forma de fazer parar, de marcar horário na minha agenda sempre tão atribulada, sentar na cadeira do tempo e me dizer:

_Agora, a senhorita vai ter que parar para me ouvir. - E quando escrevo isto quase posso imaginar o riso de Deus em falar a citação.Portanto, antes de seguir , quero te falar que muitos são os agentes e as razões que Ele nos faz parar.Doenças mais graves, problemas de toda sorte,não digo logicamente que Deus quer nos ver doentes ou sofrendo, estou afirmando sim, que como eu pare e perceba onde está sua inflamada que tão desesperadamente você deseja que se cure e alcance que Ele também quer um minuto na sua agenda que como a minha andava sempre tão abarrotada de quatro palavrainhas:

_Tenho que fazer isso!

Parece que quando ficamos mais velhos, embora mais experientes temos mais pressa com as coisas, afazeres,e afins. Estava me recheando de tantas coisas (físicas, espirituais e emocionais) sem me dar conta de que só necessito me abarrotar de coisas boas, de sentimentos bons, de pessoas que me amem, de amigos que realmente querem o meu bem e não abutres que se passam quando na verdade só estão ali para ansiosamente aplaudirem em seus corações vis a sua decorada final. E tem mais Diário, a gente sabe quem são, sabe que estão ali para isso, e ainda assim permitimos que ali perpetuem.

Preciso reformular minha vida em todos os sentidos, inclusive em minha escrita, e eu gostaria muito que você fosse o primeiro  saber. Jamais deixarei de literatura, mas haverá mudanças, elas necessitam acontecer pelos mais variados motivos, porém e principalmente porque Aquele que mais me ama,me conhece,me preserva me mostrou que esse é o melhor caminho, e Ele quando fala, não tem jeito,eu simplesmente obedeço com um riso lindo no rosto.

Descubra o que você precisa para continuar no caminho que te fará bem e tudo será cada vez maior.

Bye Diário!

         


         

 





Mãe de todas as mães...

Esta existência que me é doada por dádiva divina não ordena nada a mim somente a graça de vivê-la, é o presente oferecido pelo sublime perdão que me é ofertado.
Onde a natureza serenamente cresce e um vento levemente aviva as flores trazendo o perfume e a majestosa graça e sabedoria. É o educador ensinando os seus pupilos a essência da vida e a arte de amar.
Não precisam mais nada, somente da paciência do tempo que sai como uma névoa branca como se fosse incenso de sacrifícios em agradecimento a majestade criadora.
Elas dizem ao Criador que ainda à muitas flores para serem colhidas e que o senhor é Deus bondoso.
Toquem as cornetas, desabrochem as rosas o Criador proclama a anistia pelo sangue do Cordeiro.
Aplaude flores o Criador e apregoa sua majestade que nos dá a vida eterna...
Neste universo exaltado e colorido por diversas tonalidades, o verde ao fundir com o amarelo reflete luz e os espelhos de água se plainam em diminutas gotas de águas é a chuva de bênçãos.
Nenhuma lágrima nem um agouro de aflição somente uma porta de brilho e bem apontando direção do trono a mãe de todas as mães ao lado do Senhor Jesus.


Carlos Donizeti (DA)

sábado, 28 de junho de 2014

OS "CAUSOS" DO ZÉ MANÉ: O PAPAGAIO DA NHÁ BARBINA!

 
 
 
Lá Vem O Caipira Mais Folgado de Saquarema!
 

 

 
APRECIEM SEM MODERAÇÃO!
 
 
OS "CAUSOS" DO ZÉ MANÉ: O PAPAGAIO DA NHÁ BARBINA!

 

 

sexta-feira, 27 de junho de 2014




Hoje vamos falar de música. 


TEARS  IN HEAVEN 
lÁGRIMAS NO PARAÍSO. 

Compositor: Eric Clapton Will Jennings .
Interprete: Erick Clapton 







Tears  in heaven, uma música que recebeu inúmeros prêmios na  industria fonográfica. Em 1993 foi tema do filme : Rush. Clapton, escreveu a letra da música logo após a perda do seu filho de 4 anos Conor (1991) que sofreu uma queda do 53ª andar  do apartamento de amigos,  onde Clapton estava hospedado com a  família. 
Clapton  chegou  ao local do acidente   em minutos. 
                              Ficou em estado de choque por muito tempo.
                                        
  
                                   




 Desolado e consumido pela depressão, externou o seu pesar através da letra da música que acabou se tornando um marco na sua carreira. 





Consagrado com  um dos melhores guitarrista dos últimos tempos. Eric Clapton interpretou a música que homenageava o filho  até o ano de 2004. Alegou  não  conseguir mais canta-la, pois o remetia aquelas momentos... 



Em 2009 ele liberou a música para que fosse executada em uma campanha na holanda que alertava aos pais sobre os riscos das quedas infantis. 



Consta que a mãe de Conor (lori ) nunca ouviu a música.

TEARS IN  HEAVEN  INTERPRETADO POR ERIC CLAPTON 
( TRADUZIDO PARA PORTUGUÊS) 



                                               Titão, é impossível não dar uma nota 10!

Machado de Assis, simplificá-lo é matá-lo

"Esta a glória que ficaeleva, honra e consola." - M. de Assis 


           Não sou fã de Patrícia Secco, deixo bem claro antes de começar o assunto, entretanto não é a minha opinião pré-definida sobre a autora que me faz desprezar tão vilmente o novo trabalho dele que ela pretende lançar. Decerto os mais informados e conectados ao mundo da internet já conhecem esse assunto, porém percebi que nem todos os autores e leitores conhecem a informação "Machado de Assis será simplificado por Patrícia Secco".
Machado de Assis foi e sempre será o maior dos autores brasileiros. Ele escreveu de tudo um pouco (Crônica, Conto, Romance, Poesia, Crítica literária, Peça Teatral...). Vou ser direto, a simples tentativa de simplificar Machado de Assis é um crime de honra contra a cultura nacional.
Talvez os defensores usem a defesa, “Os jovens não deveriam ser obrigados a lerem a complexa obra de Machado de Assis”, para isso tenho o meu argumento, não sou velho e desde os 10 anos de idade leio com prazer Machado de Assis. Regozijo cada segundo que perdi lendo “Dom Casmurro”, “Esaú e Jacó”, entre outros.
A linguagem rebuscada e as ironias é uma marca inconfundível e inalienável de Machado, é essa uma marca do autor. O livro que não tiver a marca do autor, não é Machado de Assis, é um livro qualquer. É um vitupério o que está sendo feito com a obra do maior autor brasileiro, e pior é o apoio financeiro recebido pela autora dos livros. Os livros que dizem que Machado simplificado será distribuído pelo governo federal. Seria mais útil para o povo brasileiro se pegassem a verba que foi usada para patrocinar esse ultraje e destinassem para novos autores, novas produções de autores brilhantes que estão ainda anônimos.
E por fim, se é para ter novos leitores que não conseguem ler um Machado de Assis, prefiro não haja. O que não podemos é matar um clássico apenas por números de IDH, o que não vale nada. Talvez deixemos de analfabetos, mas pior, teremos um tanto de brasileiros que sabem ler, mas não têm a capacidade de interpretar.  Pois isso lhes foi tomado por uma autora que irá entregar ao povo um livro já interpretado e com um vocabulário pobre, como o (des)serviço que ela realiza.

   

Josué da Silva Brito

Este artigo reflete a opinião expressa do autor e não a opinião do blog em que foi vinculado.

Ah...Vem Cá Que Eu Te Conto com Mafalda Bokuda





Oi Pessoas de minha vida afundada!


Olha só,sou a Mafalda Bokuda,vou baixar aqui de quando e sempre para comentar um bocadinho desse povo que pediu para virar Celebridade! Se viraram isso a  gente vai descobrir juntinho,ok!

"Tamo" junto porque separado não tem fofoca não é povo?



Sandy deixa a maternidade com Lucas Lima e o filho 

Theo

Acompanhada do marido, a cantora deixou a maternidade Vera Cruz, em Campinas, com seu primeiro filho


Sandy sai da maternidade


Depois de se envolver em confusão com elenco de novela, Gabriel Braga Nunes só dá entrevista por e-mail

O ator Gabriel Braga Nunes. Foto Paulo Eduardo/AgNews

Gabriel Braga Nunes adotou o silêncio depois de se envolver numa confusão com o elenco da novela "Em Família", em março, quando teria discutido com Ana Beatriz NogueiraHumberto Martins e Helena Ranaldi. Desde então, o ator tem recusado entrevistas e, as pouquíssimas que são aceitas, só podem ser feitas por e-mail.
Hum...Acho que conheço esse moço de algum lugar,será que eu mando uma pergunta por mail para saber?


Anitta assusta contratantes com cachê de R$ 140 mil e exigências no camarim



Anitta, 21, está em alta na mídia, e sabe disso. Tanto que tem até assustado os contratantes de seus shows quando informa o cachê altíssimo que pede e as exigências que faz para se apresentar.
Segundo o jornal "Extra", a quantia cobrada pela cantora atualmente é de R$ 140 mil. Mas os gastos não param por aí. Ainda é preciso desembolsar R$ 30 mil para a equipe. Caso o show seja fora do Rio, Anitta exige do valor das passagens aéreas; se for no Rio, onde ela mora, são necessários um micro-ônibus, uma van e ainda um carro executivo.
Para o camarim, a cantora também faz seus pedidos inusitados. É preciso que a produção disponibilize uma garrafa de vodka importada, iogurtes de uma marca específica, duas caixas de chiclete (uma delas tem que ser sabor uva), uma pizza de calabresa (sem cebola) e uma porção de iscas de frango ou carne.
O gente estranho para mim não essa moça pedir e sim alguém pagar!!!!



Esses famosos têm problemas com os vizinhos

Famosos problemas com vizinhos


Em junho de 2014, Justin Bieber teve uma briga feia com os vizinhos de seu novo apartamento em Beverly Hills. A polícia já teria sido chamada duas vezes ao prédio depois que pessoas reclamaram do cheiro forte de maconha saindo do lar do astro teen. Mas essa não é a primeira vez que ele briga com vizinho.

Eles acham que o Justin é problema porque não aguentam a velha peidona da minha vizinha,parede rente,fiofó quente! Abafa!


Luciano Huck, cafetão do Brasil



A “grande festa” do Fuleco (quem inventou esse nome, uma abreviação de “treco fuleiro”, estava trolando forte), do Ronaldo convertido no Bussunda imitando a voz do Ronaldo, de antigos ídolos dos anos 80 (Paulo Miklos e Fernanda Takai) cantando músicas que não colam, do Neymar onipresente ensinando cultura do estupro para o filho de dois anos no Faustão, dos “vips” nos camarotes sem noção, da copa que é “da Fifa” e não do Brasil, o vale tudo micaretesco.
Mas não podia faltar um ponto (ainda mais) baixo de Luciano Huck, aquele mesmo oportunista do Somos Todos Macacos. Luciano postou um chamamento, no Facebook e no Twitter, às mulheres cariocas, para conseguir o seu “gringo do sonho” com sua ajuda caridosa. O post foi retirado do ar - parece que alguém se tocou da inconveniência. Mas está gerando indignação, por suas implicações com o turismo sexual e o clichê da mulher brasileira “pegável”, como bem analisa a jornalista Gabriela Loureiro neste artigo cheio de dados.

Gente,eu até acho o moço engraçadinho,mas essa foi o ÓÓÓÓ da falta de significado da frase: CALADO SOIS UM POETA!!! (Empresta a frase para ele Pelé),melhor se concentrar em mexer seu caldeirão amor,um dia dá caldo! 


Gente,indo cá,mas lembra "tamo" junto que separado não tem fofocaaaa!




Fonte: www.yahoo.com

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Lost

Procurei-te
Nas ruas
Entre as casas conhecidas
Nos becos desconhecidos
Imaginei-te entre a multidão
A tentares seguir com ela
Como se conseguisses
Seguir caminho que não é teu
Ou talvez ela apenas te levasse
Para longe de mim.

Mas o teu rosto
Eu não encontrei
Nem naquele sonhador
Sentado no banco de jardim.
Mais distâncias eu persegui
Ainda sabendo
Que o Mundo não era suficiente
Para ti.

Chegada ao cabo enfim
Sem sinal de esperança
Até que te procurei
Na onda da praia
Naquela que me molhou
Os pés naquele dia
Mas também ela
Tinha desaparecido…

Foto: Kawika Singson, gentle waves created this shoreline sand art



terça-feira, 24 de junho de 2014

 Afirmo...


Com todo o respeito posso falar a língua dos anjos e sem mistérios ao som audível profetizar...
Não para o futuro, mas, no presente pelos méritos alcançados e pela divina graça que renova.
Reconhecer que os portais do céu nunca estiveram fechados para mim ou para aqueles que me estão próximos.
Sou grato a Deus em nome da trindade, grato ao ar que respiro e aos alimentos provisionados por Deus que meu corpo consome.
Sou grato a luz que meus olhos podem observar e aos sons de coisas boas que meus tímpanos podem ouvir os sons dos cantos de meus netos.
A cada flor, cada pássaro, cada borboleta, cada animal que respira este ar terreno receba minha gratidão como morador desta terra em uma só letra em único som a palavra amor...
Em sintonia meu coração bate junto com o vosso e minha alma jubila com tenazes  promessas de vida e afirmo  somos elos necessários ao ecossistema do mundo.
“Eu posso todas as coisas naquele que me fortalece” minha vida aqui não é vã...
Posso dançar como Davi dançou, posso gritar como ninguém nunca gritou a expressão máxima da palavra. Como é grande o meu amor pela vida e o carinho por você.

 Comendador Carlos Donizeti (DA)







  

O que tem caixa hoje?

Hoje olhando na minha caixa, encontrei um livro maravilhoso, uma saga criada por uma escritora nacional o livro se chama  Aldeia de Santo Pedro da Danielle Sampol.


A história é cercada de mistério, romance e fantasia.
O livro é contado aos poucos, com uma cena instigante quando um chefe de Família o Barão Baleares foge com a esposa e os filhos para a floresta, depois de uma grande descoberta e então fica a pergunta a cidade não era mais segura pra os seus segredos?
Segredos que nunca poderiam ter sido revelados, ali então foi formado um Clã.

O que tem na água da cidade?


A pequena vila e seus mistérios, e assim surge o romance Aldeia de Santo Pedro;

E paralelo ao mistério da Família Baleares, e que anos depois  tem a jovem Diana
( Dina) que acaba de se mudar para a casa da avó Augusta, traumatizada com a perda dos pais, ela tenta reconstruir a sua vida e manter uma rotina em escola, casa e o psicólogo e na cidade ela faz amizade  com Angélica (Anja).
As duas atravessam por varias situações juntas fazendo com que essa amizade se fortalecesse  ao logo da saga.

Mas Dina se vê envolvida quando conhece um jovem e misterioso rapaz chamado Edie e amizade que nasce entre os dois, oras parece real oras fantasia...
Mas a paixão mesmo chega com o jovem Ram...
Mas é paixão? Medo? Acordos...
E a cada encontro mais coisas a jovem vai descobrindo sobre a família Baleares e o mistério que envolve a floresta e todo aquele Clã.
Ainda mais quando as duas amigas resolvem viver numa floresta!

O cenário tem como  base  a cidade Petrópolis —RJ.
A cidade tem uma vasta mata verde, e é muito propicio para o ambiente da saga que se inicia nos anos 80.

Durante o romance acontecem grandes viradas, algumas perdas, acidentes, sofrimento, mas também alegrias...

Edie tem mais dois irmãos Ram e Ric.
Eles são filhos do Barão Baleares.
Os três foram treinados pelo pai para manter o clã, mas mesmo assim eles não pensam igual em tudo a sua volta, quem está certo? Quem está errado?
Ao decorrer da história é isso que mais envolve o leitor.
E um final surpreendente que só a Dina poderia realizar, além dos perigos, descobertas, perdas e choques que ocorrem ao longo do terceiro livro e o desfecho final, terminando assim já nos anos 90.
E também paralelamente o romance de Anja e Luccar também ganham grande foco, com momentos de ternura e alguns bem tensos!

E afinal o que seria a Aldeia Santo Pedro, afinal era um milagre natural? Um dom de a família Baleares e quem é Pedro?

E o que a jovem Dina teria em comum com a baronesa Baleares...
Ficou curioso?

Não perca essa grande saga,que vai crescendo a cada livro.

Onde tirei alguns QUOTES!

Aldeia de Santo Pedro 1 — ÁGUA:




Aldeia de Santo Pedro 2 — Refugio:




  
Aldeia de Santo Pedro 3 — O Retorno:





Aldeia de Santo Pedro 4 — Desfecho.




Onde encontrar as Obras da autora Danielle Sampol: 



e no clube do Autor:


e visite o blog da Autora:


Espero que tenham gostado!





(todas as imagens foram retiradas no Google)