Entre Quatro Paredes e Nada Mais LIVRO

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

POLÊMICA!!! Para defender honra da filha, pai convida acusado de estupro para jantar e o mata após tortura

JOVEM TERIA ENGRAVIDADO APÓS ABUSO SEXUAL PROVOCADO POR UM HOMEM CASADO DE 45 ANOS (Foto: GETTY IMAGES)


O pai de uma adolescente de 14 anos, vítima de estupro, convidou o acusado do abuso sexual para jantar e o matou por estrangulamento após torturar seus genitais enquanto o homem estava amarrado à uma cadeira. Os dois crimes aconteceram em Nova Delhi, na Índia.
 
A morte do homem aconteceu dois meses após ele, supostamente, ter violentado a jovem e a engravidado, informou o site "Huffington Post".
"Queimei seus genitais pela primeira vez e ele gritou. Fiz novamente e ele estremeceu. Na terceira vez, não se moveu. Estava morto", contou o pai da menina. "Não queria matá-lo", ponderou.
Após o crime de vingança, o próprio homem se entregou à polícia local dizendo que não tinha a intenção de tirar a vida do acusado. O objetivo era torturá-lo.
"Baseado no depoimento, enviamos uma equipe para localizar e recuperar o corpo, que foi encaminhado para exames. Sua família foi informada", contou um porta-voz da polícia.
O pai da adolescente, que permanece detido, ficou sabendo sobre o abuso sexual quando um médico lhe contou que a filha estava grávida. Sua decisão foi fazer justiça com as próprias mãos.
O incidente não é o primeiro caso em que cidadãos torturam acusados de crimes sexuais na Índia. No mês passado, um homem foi castrado por uma milícia após ser flagrado tentando estuprar uma adolescente.
O país enfrenta, nos últimos meses, uma onda de estupros contra mulheres, que geram comoção entre os moradores. Alguns deles preferem não esperar pela polícia e decidem agir por conta própria.
Mas a polícia local afirmou que os responsáveis pelas castrações serão, também, punidos pelos crimes. "As pessoas não podem fazer justiça com as próprias mãos. Por mais deploráveis que sejam os crimes, a lei e a ordem precisam ser mantidas. Pedimos que aqueles que cometeram crimes se entreguem antes que os encontremos", disse por porta-voz.



Revisa Marie Claire