Entre Quatro Paredes e Nada Mais LIVRO

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Grávida, mulher é apedrejada até a morte por se casar com homem que amava


Farzana Iqbal decidiu não trocar alianças com um primo e foi punida com a morte por seus parentes


MULHER PAQUISTANESA É MORTA PELA FAMÍLIA POR TER SE CASADO COM HOMEM QUE AMAVA (Foto: GETTY IMAGES)

Uma mulher grávida de 25 anos foi apedrejada até a morte no Paquistão por sua própria família após ter se casado com o homem que amava. O ataque a Farzana Iqbal aconteceu na terça-feira (27), informou o site "Huffington Post".

A jovem, que estava com três meses de gravidez, havia ficado noiva de um primo, mas decidiu se casar com Mohammad Iqbal a despeito da vontade de seus parentes. Como retaliação, a família denunciou o marido de Farzana por sequestro e a puniu com a morte.
O pai, dois irmãos e o ex noivo estavam entre os suspeitos do ataque, que reuniu em torno de 30 pessoas. A justificativa seria limpar a honra da família.

Segundo disse a porta-voz da polícia do país, Rana Akhat, para a AFP, a jovem tentou escapar de um disparo de tiro feito por seu irmão, mas caiu. "Seus parentes a capturaram e a espancaram até a morte com tijolos".
Em 2011, 943 mulheres foram mortas por aparentemente terem envergonhado suas famílias no Paquistão, informou o jornal "The Telegraph".