Entre Quatro Paredes e Nada Mais LIVRO

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Adolescente forçada a dormir com 1800 homens em culto satânico conta somo sobreviveu à violência

Em livro, britânica revela que abusos começaram aos 7 anos de idade e só pararam aos 18 quando denunciou o caso à polícia

VÍTIMA DE ABUSOS SEXUAIS LANÇA LIVRO CONTANDO PASSADO EM SEITA SATÂNICA (Foto: DIVULGAÇÃO)

Vítima de uma série de abusos sexuais desde a infância, a britânica, com o pseudônimo de Annabelle Forest, contou o passado de horror que viveu nas mãos da própria mãe durante cultos satânicos de uma seita religiosa no Reino Unido.
 
"Minha mãe foi uma mulher má e nunca a perdoarei", disse ao site "Wales Online". Forest sofreu o primeiro estupro quando ainda era uma criança por ordens do líder da seita, Colin Batley. Três anos depois, foi forçada a participar de orgias ao lado da mãe, Jacqueline Marling, no que resultou em mais de 1800 abusos ao longo dos anos até completar a maioridade.
As crianças da igreja eram obrigadas a participar de práticas sexuais sob a ameaça de serem levadas ao inferno caso se recusassem a cumprir as ordens do líder. "Batley sabia como te manipular e fazer o que ele mandava", lembrou.
De todos os abusos, Forest disse que o pior foi praticado por sua própria mãe. "Era uma menina estudante durante o dia e uma escrava sexual à noite. Fiquei tão mal que em determinado momento tentei tirar minha própria vida", contou.
A britânica engravidou do líder da seita, aos 17 anos, e três meses após dar à luz foi forçada a se prostituir para sustentar a igreja. Já maior de idade, Forest denunciou a mãe e o responsável pela igreja à polícia.
Atualmente casada e com dois filhos, a britânica escreveu o livro "The Devil on The Doorstep" com o objetivo de fazer com que outras vítimas também denunciem os agressores. Batley foi condenado a 11 anos de prisão e Marling, a 12 anos.