Boto: O Prazer Vem Das Águas no Amazon!Confira!

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Plácido "Fazendo" Carreras por Danka Maia







A HISTÓRIA DE DOIS GRANDES MÚSICOS



Trago hoje uma das histórias mais nobres e  linda que pessoalmente amo.Refere-se a dois dos três tenores que encantaram o mundo com suas vozes maravilhosas.Mesmo quem nunca conheceu a Espanha conheceu a rivalidade que existiu entre catalães e madrilenos, dado que catalães lutam pela autonomia  numa Espanha dominada por Madrid.
Pois bem...
Plácido Domingo era madrileno e José Carreras era catalão.Devido a divergências políticas, os dois se tornaram inimigos em 1984.Como ambos eram muito solicitados em seus contratos havia uma cláusula primordial,só se apresentariam se o inimigo não estivesse presente.
Mas ai veio a Vida, e  trouxe com ela uma grande história.
Em 1987,surgiu na vida de Carreras um adversário muito mais impetuoso com Domingos, veio o diagnóstico:Leucemia.
Começava sua luta contra o câncer.Era uma luta muito árdua,difícil e parecia não haver muitas esperanças.Carreras se submeteu a um tratamento nos Estados Unidos através da medula óssea que o obrigava a trocar o sangue uma vez no mês,ou seja,a viagem ao país americano tornara-se sua única saída.Com isso ele não podia trabalhar e era dono de uma fortuna mediana,mas os altos custos na época para o tratamento rapidamente delapidou o seu patrimônio.Quando seus recursos se esgotaram,teve a informação que uma Fundação em Madrid que apoiava o tratamento dos portadores de leucemia. E graças a esta Fundação,chamada "Formosa" o renomado tenor pôde voltar a cantar e abrilhantar nossas vidas outra vez.Carreras ficou tão tocado e sentiu-se tão abençoado por aquela Fundação ter surgido que decidiu se associar a mesma.
Num dos eventos onde Plácido Domingos se apresentava Carreras surpreendentemente o interrompeu.Subiu ao palco,humildemente,ajoelhou-se ao seus pés ,pediu-lhe desculpas e agradeceu publicamente  a Plácido que o ajudou a levantar-se e com um forte abraço selaram o início de um começo de uma grande e bela amizade.
Mais tarde, um jornalista indagou a Plácido Domingos:

_Porque criou a Fundação Formosa, num gesto que ajudaria seu inimigo e também o maior concorrente de sua carreira?

Sua resposta foi curta e firme:

_Porque o mundo não poderia perder uma voz como aquela.

Pois bem,eu rememorei essa história porque antes de tudo é sim uma grande história de exemplo, de amor ao próximo, de saber superar questões, reunir forças e ir além. A história de Domingo e Carreras incide numa frase da qual creio e defendo, e que hoje deixo como reflexão para todos nós:

"Na vida quem não serve para servir,não serve para viver."

E se aquela picuinha não tivesse sido resolvida de modo tão humano e grandioso,hoje nós não poderíamos regojizar neste espetáculo que deixo aqui para sua reflexão.



Amigos Para Sempre!