Entre Quatro Paredes e Nada Mais LIVRO

domingo, 25 de janeiro de 2015

ONDE VOCÊ ESTÁ? por Danka Maia

 
 
 
Dormi nos teus braços,
Acordei no amargo
Do vazio da tua falta
Que cinge dentro de mim.
Levantei e te perdi,
Não por hora,
Por agora,
Perdi para morte
Porque é ela que jaz habita
Aqui dentro de mim.
 
Da vida que carrego,
Na lágrima que rola,
Do riso que forço,
Da dor que ignoro,
Amor, onde você está?
Quero que o dia acabe,
Mas cá nos meus adágios,
Me consumo e desfaço,
Como posso aceitar o término
De horas
Sem tua presença em meu espaço?
 
No complexo do seu mundo,
Compreendo sua dor,
Recebo, lido, suporto,
Porém permanecer nesta vil carência,
Sem nenhuma clemência,
Ah amor,
Onde você está?
 
Seja rua,carro,luz, escuridão ou avenida,
Só te peço que por guarida,
Se mantenhas junto a mim,
O sentimento mais duro
Vive longe do luto,
Campeia no lúgrume da alma,
Avoca a lacuna
Em mim, chama-se: Você.
 
 
Não saber o seu minuto,
Seu momento,
Se o alimento te desceu,
Não saber se chegará,
Não te a sua pessoa ao meu lado...
Eu rogo,
Onde você está?