Entre Quatro Paredes e Nada Mais LIVRO

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Amante Oculto

Matando Saudades... <3 span="">
Esse é um dos meus poemas que mais gosto...






Teus passos são leves e contundentes,
Ficam ardentes,
Paixões queimam,
Emoções exorcizam,
Que só meu espírito conhece.
Quando estes passos amolgam neste divino de solo de vidro.
A sua imponência me faz ter sensações,
Sonhos me tomam,
Outros me invadem,
Lembranças saltitam,
E quanto sinto o teu cheiro,
Ah o quanto de mim rápido você tem?
Quando a minha língua encontra-o,
Cá nos meus adágios,
Pelo meu corpo percorre
O teu gosto que pode ser
Doce, seco, sereno ou forte,
Jamais mais amargo,
Esse e o teu afago.
Dar-me o teu sabor e aveludado,
Há som no teu silêncio,
Dentro dos meus lábios,
E isto te torna meu amado,
É isso que me seduz.
Um dia se passa,
A lareira está fazendo o seu papel,
Deito com um exemplar nos braços.
Olho-te,
Desejo,
Reflito...
Entrego-me!
De ti não cativa sou,
Se fosse isto é,
A poesia se perderia.
O nosso caso e meio bandido,
Porque só te procuro,
Quando algo obscuro me enlouquece,
Então tu me recebes,
Neste divã de sabores,
Onde sou
Tudo e nada,
E mesmo ao ritmo imortal.
Agora divago sobre ti, meu pleno rei,
Meu doce carinho,
Alguns te titulam pecado,
Outros de libido,
Para mim tu és o mesmo,
Charmoso amante Vinho.