IKANATON no Amazon!Confira!

domingo, 31 de janeiro de 2016

Filme pornô é exibido acidentalmente durante funeral de pai e filho




O Crematório de Thornhill, em Cardiff. (Reprodução/BBC)

Uma cena muito infeliz foi presenciada por familiares e amigos que acompanhavam o enterro do britânico Simon Lewis, na cidade de Cardiff, no País de Gales: de repente, um dos televisores do Crematório de Thornhill acidentalmente começou exibir um filme pornográfico.
Lewis tinha 33 anos e morreu em um acidente de carro durante a virada do ano. Estava também no automóvel o seu filho Simon Lewis Jr., de apenas três anos, que chegou a ser atendido, mas não resistiu.
No entanto, durante o velório de pai e filho, nas telas onde estavam passando imagens de homenagens aos falecidos, de repente um filme pornográfico começou a ser exibido. Segundo relatos de testemunhas ao jornal local Wales Online, o vídeo ficou no ar durante pelo menos quatro ou cinco minutos.

Simon não resistiu a um acidente de carro. 
 
(Reprodução“Foi absolutamente nojento, o padre olhou para trás, esperando o vídeo de Simon, mas em vez disso apareceu um ‘pornô hardcore’ na tela”, disse uma pessoa que compareceu ao funeral, mas pediu para não ser identificada.  “As pessoas não conseguiam acreditar no que estravam vendo. Todo mundo ficou em choque. O padrasto de Simon estava furioso, ele gritou e esbravejou com o pessoal do estabelecimento até que desligassem”, completou.Testemunhas ainda afirmaram que, apesar da cena infeliz, o reverendo Lionel Fanthorpe lidou muito bem com a situação, pedindo desculpas aos presentes e afirmando categoricamente que, em 30 anos nesta profissão, nunca tinha passado por algo parecido.Em resposta, a Câmara de Cardiff afirmou que investiga o ocorrido. “Enviamos um pedido de desculpa à família e uma investigação urgente está sendo conduzida. Há quatro aparelhos de TV para prestar homenagem aos mortos. A TV que exibiu o conteúdo inapropriado havia sido recentemente instalada. Estamos tentando descobrir se essa ‘smartTV’ teria recebido imagens acidentalmente via Bluetooth ou pela rede de wi-fi”, explicou um porta-voz do órgão em declaração compartilhada no Guardian.