IKANATON no Amazon!Confira!

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

PORQUE O PARA SEMPRE, SEMPRE ACABA. por Danka Maia



 


Necessariamente nem sempre foi nesta ordem. Antes de Tony o arquiteto encontrar-se com Linda dez anos mais tarde, ela era uma mera dona de casa, exime cozinheira, amava e decidira ter Nuno como pai de seus filhos e companheiro eterno e o fez,tiveram três lindos filhos, duas meninas e um menino. Nuno era um cara agressivo e talentoso, isso se explicara no ramo que escolhera com a carreira como advogado. Cria que aos cinquenta anos começaria enfim a regozijar-se das coisas que alcançara ao longo de árduo esforço e trabalho. E então surgiu Agnes, vinte e sete anos, flor morena, olhos de mel, lábios de Jolie e corpo escultural. Não houve jeito, Nuno se apaixonara por ela, de certo modo a moça o fazia reviver uma idade perdida ora pelo trabalho ora por ser pai de família. E sim, Agnes também o amou de coração, não era do tipo que precisava de um pote de ouro, era independente, porém queria amar.

E o fim e o começo vieram. O fim de uma vida a dois e o início de outra.

Linda viu seu mundo ruir ali diante de si, impotente, sem saber que para sempre, sempre acaba. Tentou de tudo, mudou o corte de cabelo, guarda-roupas, perfumes, batom mais  ousado, atitudes,no entanto, as vezes a vida te faz compreender que episódios que te dilaceram tem sim uma finalidade que só o Destino um dia poderá ou não te explicar.Um casamento de quinze anos havia terminado.

Dez anos depois, Nuno estava morando com Agnes. Linda se refizera  usando seus dotes culinários e sendo proprietária da melhor  padaria do bairro. OS filhos do ex-casal seguiram suas vidas. A mais velha estava noiva, o rapaz saindo da faculdade e a caçula indo para o colegial. Pareciam que tudo estava superado até que Linda  quis reformular seu apartamento  começando pelo banheiro dos seus sonhos.Banheira enorme, apenas uma cuba.Enfim poderia tirar dali o  derradeiro espinho da carne, as cubas para ele e para ela que tanto a atormentaram aqueles anos. O escritório escolhido era de Arthur, um velho amigo dela e Nuno,contudo o arquiteto escolhido fora Tony. Viúvo, sem filhos, que de cara soube que se apaixonara por ela.

Idas e vindas houve a festa dos pais para o filho que saira da faculdade reuniria depois de anos na mesma sala Nuno e Linda, que agora namorava Tony e Agnes que agora era a senhora de Nuno e que tinham um filho de sete anos, o pequeno Lino.E então aquele momento esquisito só quem já passou por esse  andamento conhece veio.Nuno dançar outra vez com Linda.Ele a convidou com um riso sem graça, meio sem jeito,mas notou que algo nela estava muito diferente.

_Cabelos mais longos?- a indagou.

_Mas curtos na verdade.- o rebateu se ajeitando em seu ombro outra vez.

_Você está muito bonita. Sempre fazendo jus ao seu nome, Linda!- gracejou para descontrair. - _Não usa mais a fragrância de Lavanda?- estranhando o novo aroma de sua pele.

_Faz tempo que passei usar a de pêssego. - Linda admitiu enquanto a música "Quem de nós dois" rolava como companhia.

_Eu gostaria de... - a voz dele embargou.

_Sim?- Ela insistiu.

_Pedir desculpas talvez. Não sei ao certo. - Algo havia se volvido dentro dele.

_Eu quero lhe agradecer.- Linda foi assente.Nuno estranhou a natureza de sua colocação e retrucou:

_Agradecer?

_Sim Nuno, apesar das três lindas bênçãos que me deu, nossos  filhos, longe, pude ver a pessoa que me omiti ser por uma amor descabido a você.Eu cresci,reciclei, produzi,evolui e só Deus sabe onde posso chegar.- deixando o tom radiante de sua voz.

Foi quando viu Tony e pedindo licença simplesmente soltou os braços dele indo ao encontro de agora seu amado. Agnes que via a cena pode notar o que jazia ali claro, talvez por falta de vontade dela ver o lógico,porque sim, o lógico as vezes dói e nem sempre queremos vê-lo.

Mas Agnes viu enfim. Viu no olhar de Nuno para Linda o quanto ele nunca fora dela e o quanto jamais seria pois o agora seu marido amava a não velha e sim outra mulher.As lágrimas brotaram nos olhos e os braços apertou contra si como quem se auto acalentava.Nuno por sua vez, viu o quão tolo tinha sido.Não porque não amava Agnes mas por não ter percebido que jamais poderia amar outra mulher como amara Linda.

E a Tony restou somente dizer quando a recebeu nos braços para prosseguir aquela dança:

_Vamos aproveitar meu amor.Porque o para sempre também um dia acaba. _ e a beijou docemente.