IKANATON no Amazon!Confira!

quinta-feira, 9 de julho de 2015

10 motivos que tornam a existência de zumbis fisicamente impossível

Os zumbis ganharam o universo pop com o lançamento de “A Noite dos Mortos-Vivos”, de George Romero, em 1968. De lá pra cá, várias obras detalharam como seria o apocalipse dessa maneira. Depois de “The Walking Dead”, a fama dos mortos-vivos ganhou ainda mais força, e marchas com centenas de pessoas caracterizadas como zumbis com sede de cérebro se tornaram populares mundo afora.
Até mesmo pegadinhas, como a de Silvio Santos no metrô, abusam da temática. Ou seja, uma coisa é fato: zumbis estão na moda. Mas será que eles existiriam de verdade? O site How Stuff Works elaborou uma lista com 10 explicações que tornam impossível a existência desses monstrengos.
A não ser, é claro, que uma força sobrenatural dê um poder diferenciado a essas criaturas do mal. Caso contrário, os zumbis não teriam a menor chance. Entenda por que através dos 10 itens abaixo:

1. Umidade e calor

As altas temperaturas e a umidade aceleram a putrefação dos corpos. Elas oferecem as condições perfeitas para a proliferação de bactérias e insetos que consomem o corpo humano após sua morte. No deserto, seria uma questão de horas para o zumbi se “desintegrar”. Isso sem contar os raios ultravioletas, que podem deteriorar os cadáveres ainda mais rapidamente.
Umidade e calor ajudam a apodrecer o corpo

2. Problemas “nas juntas”

O corpo humano funciona através de sinais elétricos que controlam movimentos e elasticidade de nossos membros, pele e órgãos. Os primeiros zumbis da ficção até respeitavam um pouco dessa lógica, sendo mais lentos e se arrastando até suas vítimas.
Já os mortos-vivos mais recentes abusam da licença poética: alguns continuam a se movimentar mesmo com pedaços de seus corpos apenas pendurados. Com a falta de atividade cerebral, a movimentação dos zumbis seria irreal.
Movimentação não existiria sem os impulsos elétricos do cérebro

3. Vírus e bactérias

Alguns dos maiores vilões da humanidade são invisíveis a olho nu: são os vírus que destroem o nosso sistema imunológico e nos matam aos poucos. É o caso, por exemplo, do HIV, causador da Aids, que ainda não possui uma cura – apesar de ser possível controlar o seu avanço.
O corpo sem vida dos zumbis não teria o sistema imunológico necessário para combater a proliferação de vírus e bactérias que iriam consumir os monstros de dentro pra fora. Seria uma carnificina em níveis microscópicos.
Falta de sistema imunológico formaria o corpo ideal para propagação de vírus e bactérias

4. Ausência de metabolismo

Afinal de contas: por que os zumbis se alimentam de cérebros? Nós, humanos, ingerimos alimentos para manter nossa atividade metabólica. O que consumimos nos dá força e energia para continuarmos vivendo, através de reações dentro de nosso corpo. Já os corpos sem vidas dos zumbis não teriam a capacidade de metabolizar o que eles consomem. E sem atividade metabólica, o corpo deles não teria energia para nada.
Sem metabolismo, zumbis não conseguiriam "viver"

5. Carniça

Vários animais se alimentam de carniça, como corvos, urubus, hienas, ursos, coiotes e lobos. Caso houvesse um apocalipse e todos nós virássemos zumbis, vocês não acham que esses bichos iriam se alimentar de nossos corpos? Afinal, todo morto-vivo não passa de... carniça. Até mesmo animais domésticos como gatos e cachorros acabariam sendo obrigados a se alimentar de seus próprios donos caso o fim dos tempos realmente acontecesse.
Animais iriam se alimentar da carniça

6. Cegueira e surdez

Os olhos e os tímpanos são algumas das primeiras estruturas de nossos corpos que se desintegram depois que nós morremos. Como você acha que seria a “vida” de um zumbi sem visão e sem audição? Ele teria que se adaptar à sua nova realidade, mas, até lá, teria virado comida dos próprios bichinhos de estimação (ver o item acima).
Em pouco tempo, zumbis seriam cegos e surdos

7. Ineficácia da propagação

A maioria dos filmes e livros diz que é preciso você ser mordido por um zumbi para ser tornar um deles. Vocês não acham isso bastante ineficiente? Pegue o vírus do sarampo como exemplo. Ele é transmitido através da tosse e do espirro, além de poder ficar pairando no ar por até duas horas para encontrar seu novo hospedeiro.
A necessidade dos zumbis de morder sua presa para daí transformá-la em um outro zumbi é bem pouco produtiva no sentido de propagar esse mal. Alguns zumbis nem sequer possuem pernas e braços para conseguir prender sua presa, então como conseguiriam mordê-la? Parece pouco provável.
Propagação pela mordida é menos eficiente

8. Falta de regeneração

O que acontece se você se cortar? Seu corpo vai dar um jeitinho de “consertar” essa ferida naturalmente – e se você fizer uso de remédios e higienizar muito bem o local, a velocidade da cura será ainda mais rápida.
Mas e o zumbis? Eles não possuem nenhuma estrutura que seja capaz de regenerar seus corpos. Mesmo pequenos cortes acabariam piorando com o passar do tempo, até o momento em que o próprio osso cairia pra fora e o zumbi iria “desmoronar”.
Machucados só iriam piorar, a ponto de as estranhas serem expelidas

9. Para onde vai a comida?

Zumbis se alimentam de cérebro, certo? E, em alguns casos, também de carne humana. Como eles não digerem o que comem – já que não possuem vida no organismo – uma hora ou outras eles vão ficar entupidos de alimentos. E o que vai acontecer depois disso? Ou eles abrem um buraco na própria barriga para poderem continuar comendo mais e mais ou vão, eventualmente, explodir de tanto comer.
Alimentação excessiva faria o zumbi explodir

10. Problema dentário

Todo mundo sabe que uma boa higiene inclui escovar os dentes diariamente e passar o fio dental. Apesar de o esmalte dentário ser a substância mais resistente do corpo humano, deixar de tratá-lo vai ocasionar cáries, gengivite, retração da gengiva e, eventualmente, até a perda da arcada dentária. Como os zumbis vão se alimentar sem suas preciosas presas?
Zumbis com dentes perfeitos? Só de brincadeira


Fonte(s)
Imagens