Entre Quatro Paredes e Nada Mais LIVRO

sexta-feira, 3 de abril de 2015

Sorte sua não ter nascido da Idade Média

Muita gente adora sonhar com a Idade Média. Normalmente elas querem ser cavaleiros, rainhas ou príncipes, mas o mundo naquela época era muito menos glorioso e belo do que os filmes retratam no cinema:
 

Mulher

women
A vida de mulher na Idade Média era complicada. Elas eram tratadas apenas como objetos sexuais por seus maridos, não possuíam muitos direitos e tinham que casar com quem seus pais bem entendessem. Naquela época, ter uma filha nunca era algo muito bom, a não ser que um bom casamento fosse arranjado para ela.
Já ter um filho homem era melhor, pois ele era mais valioso e poderia se casar com alguma mulher para trazer mais poder para sua família ou mesmo dinheiro.
 

Sistema prisional

prison-n04
Antigamente existiam muito menos leis do que atualmente, mesmo assim não era incomum que pessoas acabassem sendo presa. Por isso, os castelo costumavam contar com celas, que mais pareciam jaulas para os criminosos que não tivessem sido mortos pela guarda que os prendeu.

Uma pessoa presa, muitas vezes, não tinha direito a julgamento ou nada parecido. Ela era jogada na cela e não recebia comida, nem água direto. Naquele tempo, era coisa normal um prisioneiro morrer de sede ou fome. Visitas de parentes ou passeios para pegar Sol não eram cogitados. Tudo que restava para o prisioneiro era torcer para receber água e comida o bastante para não morrer e aproveitar o tempo dentro de um buraco na pedra.
 

Sobrenome

a_knights_tale_heath_ledger
Na Idade Média, como a população era muito menor, as pessoas ainda não tinham o costume de adotar sobrenomes. Para diferenciar quem tinha o mesmo nome, era utilizado o nome da cidade da pessoa ou a profissão que ela tinha.
Ou seja, uma pessoa chamada Artur, poderia ser reconhecida como Artur de Londres ou como Artur Açougueiro. Muitos dos sobrenomes que temos atualmente vem dessa época, por isso, não é incomum vermos gente com nomes que remetem a profissões da Idade Média.
 

Medicina e expectativa de vida

medici1
A medicina na Idade Média, quando vista da atualidade, mais parecia coisa do louco. Muito dos medicamentos e tratamentos se baseavam totalmente na velha superstição. Um das maneiras mias usadas para a cura de qualquer tipo de doença era a sangria. Os “médicos” abriam buracos nos doentes ou usavam sanguessugas para retirar uma parte do sangue. Eles acreditavam que isso fazia com que a doença fosse expelida com o sangue para fora do corpo, o que, obviamente, não faz nenhum sentido.
Por causa desse tipo de tratamento médico e pela desigualdade social gritante, a expectativa de vida naquela época é de pouco mais de 30 anos para o homem e um pouco mais para a mulher. A mortalidade infantil era gigantesca e o trabalho forçado fazia com que muitos morressem ainda bem jovens.
 

Bêbados

uugnlgndkq4imtnvvrex
Hoje em dia nós contamos com sofisticados sistemas de tratamento de água para podermos tomá-la. Naquela época, nada disso existia, por isso, beber água era mais complicado do que parece. Os rios não eram tão poluídos, porém também não eram limpos, principalmente aqueles que ficavam no meio das cidades. Devido a esse problema, água potável e boa era um item raro. Além disso, era de conhecimento popular que água pura era ruim para a digestão.
Somando esses fatores, muitas pessoas simplesmente desistiam de beber água e como não existiam refrigerantes naquele tempo, a bebida oficial era a cerveja e o vinho. Era mais do que normal as pessoas tomarem bebidas alcoólicas junto com as refeições ou a qualquer hora. A verdade é que todo mundo estava sempre bêbado, nem que fosse um pouco.

Fonte:Minilua.com