Entre Quatro Paredes e Nada Mais LIVRO

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Conto de fadas: desbrave os 8 palácios mais visitados do mundo!

Qual é a primeira coisa que você imagina quando pensa em um castelo? Provavelmente, o palácio da Disney, as construções imponentes dos contos de fada e as fortalezas de Game of Thrones estarão no topo da lista. Entretanto, nem todos eles são parecidos.Quem nunca sonhou em poder andar de carruagem, sentar em um trono dourado e ter toda uma corte para suprir seus mais simples desejos? É inegável que, pelo menos alguma vez na vida, todo mundo já teve anseios de se tornar um rei ou rainha. Logo, talvez seja por isso que os castelos chamam tanto a atenção das pessoas, não é mesmo?

Lugares magníficos e luxuosos

Uma das obras que mais se assemelham com a imagem de um palácio de contos de fada é o Neuschwanstein, localizado na Bavária, Alemanha. Anualmente, cerca de 1,5 milhão de pessoas visitam o local para fazer um tour pela construção que serviu de inspiração para o desenho d'A Bela Adormecida da Disney.

Todavia, nem todos os castelos são parecidos com a versão Europeia, e alguns dos mais famosos estão disponíveis na Ásia e possuem exteriores vermelhos, portões e templos. O Grande Palácio de Bangkok é um bom exemplo disso.
Nele, a monarquia permaneceu durante 150 anos, sendo visitado hoje em dia por aproximadamente 8 milhões de turistas anualmente. Algumas das relíquias do local incluem quartos ornamentados, jardins extremamente bem cuidados e templos — um deles com a imagem de Buda talhada a partir de um único bloco de esmeralda gigante.
Algumas moradias reais se transformaram em belíssimos museus. O Palácio de Inverno em São Petersburgo, Rússia, é o sexto mais procurado e abriga obras de arte de Ticiano e Da Vinci, junto com interiores restaurados que já serviram de residência para Catarina, a Grande. A seguir, você confere a lista com os 8 castelos mais impressionantes.

1. A Cidade Proibida (Palácio-Museu), Pequim


Visitantes anuais: 15,34 milhões

Diariamente, dezenas de milhares de pessoas passam pela Cidade Proibida para ter um vislumbre dos 980 edifícios e das 8.707 salas que compõem os 720 mil metros quadrados do local.
Para lidar com a grande demanda de visitantes, o governo chinês passou a exigir um sistema mais avançado para a venda de ingressos durante os festivais e feriados, bem como proibiu a entrada de portadores de ingressos anuais no local durante as altas-temporadas.
A área do museu é repleta de prédios vermelhos com templos dourados que exemplificam muito bem a arquitetura oriental. O palácio em si expõe obras de arte, móveis e trabalhos de caligrafia.

2. O Louvre, Paris


Visitantes anuais: 9,334 milhões

O maior e mais conhecido museu do mundo – lar de grandes peças de arte, como a La Gioconda (a Mona Lisa) e a Vitória de Samotrácia – nasceu como um palácio. A obra em formato de U foi uma casa para várias gerações de reis e imperadores franceses desde o início do século 12.
Até hoje, os objetos remanescentes da fortaleza original (construída para abrigar o rei Filipe II em 1190) podem ser vistos no porão do museu. Além disso, o prédio foi expandido e renovado inúmeras vezes.

3. Grande Palácio, Bangkok


Visitantes anuais: 8 milhões

Embora receba turistas, o Grande Palácio ainda é utilizado pela família real tailandesa, bem como hospeda cerimônias importantes, tais como a celebração anual de aniversário do atual rei Bhumibol Adulyadej. O local já foi serviu como residência oficial da monarquia do país entre os anos de 1782 até 1925.
Em meio a dezenas de prédios, jardins, salões e pavilhões, o Templo do Buda de Esmeralda (Wat Phra Kaew) é considerado um dos locais mais sagrados da Tailândia. Nele, está exposta uma estátua talhada a partir de um bloco de jade inteiro. Já os apetrechos da peça, feitos de ouro puro, são trocados três vezes ao ano durante cerimônias reais que visam refletir as temporadas do país.

4. Palácio de Versalhes, França


Visitantes anuais: 7.527.122

Quando Louis XIV criou Versalhes no final do século 17, ele se tornou alvo de inveja para toda a Europa. Para se ter uma ideia da opulência do château, ele recebe sete vezes mais turistas do que qualquer outra moradia francesa da mesma categoria, perdendo apenas para o Louvre. Parte de sua vantagem é que ele é facilmente acessível a partir de Paris.
Dificilmente algum dos castelos espalhados pelos quatro cantos do mundo conseguem superar a beleza do Salão de Espelhos de Versalhes – um local repleto de candelabros e decorado com flores costuradas à mão.
O próprio jardim do château é uma grande atração, pois contém 50 fontes de água, um parterre (jardim formal), um grande canal e outras maravilhas, como o Trianon de Marbre (Grand Trianon), construído por Luís XIV como um refúgio da vida na corte, e o palácio Petit Trianon, erguido por Luís XV para a sua amante, a Madame de Pompadour.

5. Palácio de Topkapi, Istanbul


Visitantes anuais: 3,335 milhões

O Palácio de Topkapi possui uma vista incrível do mar de Mármara e do estreito de Bósforo, tendo servido como residência para a família real durante aproximadamente 400 anos até o colapso do Império Otomano, em 1920. Nele, o sultão vivia com suas diversas esposas, concubinas, mãe e filhos em um verdadeiro harém, sob a proteção de eunucos impiedosos.
O quarto privado de Murad III é um dos locais mais bonitos da obra, uma vez que oferece uma imensa piscina interna, lareira dourada e paredes decoradas com azulejos de Iznik azuis, brancos e corais do século 16.
As cozinhas do local, reabertas em setembro do ano passado, possuem porcelanas de primeira e panelas gigantescas. O complexo também dispõe de jardins, pátios, pavilhões e abriga o tesouro imperial. Um arco e aljava feitos de esmeraldas e diamantes, dados de presente pelo sultão Mahmud I ao líder da Pérsia, são só alguns dos exemplos que o local oferece.

6. Palácio de Inverno (museu Hermitage), São Petersburgo, Rússia


Visitantes anuais: 3.120.170

Catarina, a Grande e Nicolau I foram alguns dos monarcas russos que ocuparam essa incrível construção barroca verde e branca, entre os anos de 1762 e 1917. Hoje em dia, o palácio se transformou em um museu que abriga uma das maiores coleções europeias, incluindo peças de Leonardo da Vinci (Virgem Benous), Rafel Sanzio e Ticiano.
Embora grande parte do castelo tenha sido destruída pelo fogo em 1837, a beleza dos interiores restaurados demonstra o bom gosto da elite do país.

7. A Torre de Londres


Visitantes anuais: 2.894.698

Essa fortaleza medieval, localizada na área norte do rio Tâmisa, foi construída para intimidar os londrinos e afastar os estrangeiros invasores. A Torre Branca, a estrutura mais antiga do lugar, foi levantada no século 12. Embora tenha sido montado como uma residência real, o palácio ficou famoso por ter servido como prisão e sido palco para execuções famosas, como é o caso de Henry VI e Joana Grey.
Milhões de pessoas viajam para o local para apreciar as joias da coroa britânica, entre elas o cetro real contendo a Grande Estrela da África (diamante Cullinan), a maior gema cortada do mundo. Em 2014, o fosso da torre foi coberto com 888.246 papoulas de cerâmica vermelha para representar os soldados que foram mortos na Primeira Guerra Mundial.

8. Palácio de Schönbrunn, Viena


Visitantes anuais: 2,870 milhões

Com uma incrível arte barroca, o Palácio de Schönbrunn é o lugar que mais recebe turistas na Áustria. O castelo serviu de morada para a família imperial de Haspsburgo, entre os anos de 1700 e 1928. Ele contém 1.441 cômodos, sendo o mais famoso deles a Galeria dos Espelhos, com decorações no mesmo estilo do prédio e cristais espelhados, em que dizem que Mozart fez seu primeiro concerto aos seis anos.
Além disso, o lugar recebeu o primeiro zoológico do mundo, estabelecido em 1752. Um tour guiado pela construção mostra os 40 salões que são abertos ao público, incluindo o Gobelin Salon com as tapeçarias de Bruxelas e o Millions Room, um escritório inteiramente mobilhado com o raro pau-rosa.