Entre Quatro Paredes e Nada Mais LIVRO

sábado, 17 de janeiro de 2015

Lenda Sombria: O Navio Fantasma

Lenda Sombria: O Navio Fantasma



O Caleuche é descrito como um mítico navio fantasma com a aparência de um grande veleiro cuja cobertura principal é cheia de luzes brilhantes, e que navega ao som de músicas e orquestras.
Diz a lenda que quando deseja passar despercebido, este navio mal assombrado e esconde-se sob as águas ou é cercado por uma neblina sobre natural que faz com que fique invisível aos olhos humanos.
De acordo com diferentes versões que cercam as míticas aparições do estranho veleiro, acredita-se sobre sua tripulação ser constituída pelo sombrio Chiloé Waeloxks e seus fiéis servidores, por aqueles que morreram no mar, pela fantasmagórica tripulação de escravos, por duas bruxas míticas e por todos aqueles que decidirem ir com o navio voluntariamente sendo assim retribuídos pela promessa de riqueza.
Além disso, diz-se que quando se navega pelos mares do arquipélago de Chiloé pode-se ver o Caleuche e suas almas em festa a vagarem eternamente recolhendo as almas para aumentar sua macabra tripulação.
Origem
A lenda do Caleuche, relaciona-se de formas diferentes, com inúmeros aspectos da história e das crenças do arquipélago de Chiloé.
Entre as inúmeras hipóteses propostas, sugere-se que o mito pode ser uma variação lenda do Europeu  Navio Fantasma O Holandês Voador , que foi baseada em fatos reais, como por exemplo sobre o desaparecimento do navio holandês "A Calanche",ou que originou-se nos misteriosos desaparecimentos nas expedições espanholas ou na chegada de navios piratas holandeses como o liderado por Baltazar de Cordes , que em 1600 capturou toda a ilha por um período curto.
Alguns também dizem sobre as aparições serem provenientes ao fenômeno da osnis (dos objetos não identificados submersíveis).
Versões
 
Existem inúmeras versões, que diferem-se discrepantemente. No entanto,  todas dizem que seria uma embarcação que pode aparecer ou desaparecer em meio a noite, e que seria perigoso atender a este lendário veleiro. 

Casa Mágica dos Mortos no Mar
 
Uma versão diz que o barco pega mortos no mar e dá-lhes nova vida a bordo como membros da tripulação a passar a eternidade em festivais.
 
Marinheiros  Amaldiçoados e Escravos Pescadores
 
Outra versão diz que o navio mítico aparece nos mares de Chiloé com uma música maravilhosa,  para assim atraír os marinheiros e transformá-los em escravos que querem  para a eternidade, a fim de usá-los como servos de sua tripulação.
 
Contrabando de Magia
 
Também há uma crença de que a tripulação do Caleuche faz pactos mágicos com comerciantes, assegurando-lhes prosperidade material em troca de manter o seu segredo.
Quando alguém em Chiloé faz rápida fortuna , diz-se entre os seus vizinhos, porque ele estava tendo um caso com a tripulação do Caleuche e seus feiticeiros. Estas histórias foram aumentadas durante os dias que se seguiram ao terremoto de 1960 , porque algumas das casas das ilhas ficaram intactas pelos incêndios que devastaram o porto de Castro. Na mesma década, foi dito que perto das casas de comerciantes prósperos do arquipélago de Chiloé , em muitas noites  pode-se ouvir sons de cordas, como se um barco estivesse ancorado próximo.
Assim, até os dias de hoje é considerado-se suspeito  quando um comerciante bem sucedido, recebe a noticia do naufrágio do barco que leva um de seus parentes. 
Diz-se que grandes riquezas são devidas aos tripulantes que estão a bordo do Caleuche, e que em suas viagens que acontecem neste navio mágico seriam levados para visitar cidades fantásticas que estão instaladas no fundo do mar, e que também lher são reveladas a localização de tesouros escondidos . Assim, pode- se desfrutar de uma pequena parcela destes tesouros, e ir vivo para casa, com a condição de que tem que fazer algum tipo de pacto para manter esses segredos até a morte. O não cumprimento do tratamento, seria severamente punido.
As histórias dizem que aqueles que têm um pacto com o navio fantasma devem mante-lo a qualquer custo a fim de bajular as feiticeiras.

Sendo magia consciente
 
Existe também uma versão indicando o Caleuche realmente ser criado e dotado de consciência , o que explicaria o seu comportamento como divindade maligna.
De acordo com esta interpretação da história, originalmente Caleuche era apenas um navio, mas a Millalobo teria dado o dom da consciência, e as grandes potências, com o objectivo de que o Caleuche fosse o local de residência das almas que produz o mar sendo assim resgatadas pelos filhos de Millalobo.
Diz-se que logo após sua transformação , o Caleuche estava feliz com seu parceiro, mas um dia ao saber da morte de seu amado dono por bandidos do mar, o Caleuche irritado jurou vingança sobre todo o ser humano vivo. Esta seria a razão de seu juramento de atrair todos os marinheiros e pescadores que encontra, para tornar escravos, e a razão também para haver concordado em ajudar as bruxas de Chiloé,  para o transporte e a feitiçaria maligna, mas, no entanto, ele também deve continuar a cumprir a missão sagrada de Millalobo.
Além de atrair marinheiros para torná-los escravos, diz sobre ele ter a capacidade de punir aqueles que olham-no, usando seu poder de deformar o infeliz que vê-o sem permissão dando-lhe uma morte súbita ou enlouquecendo-o. Assim, é dito que a pessoa que olhar para Caleuche e não quiser sofrer a punição mágica, deve assegurar que o navio e sua tripulação não percebam sua ousadia.
O Mito
Estes são alguns dos mitos sobre este misterioso navio fantasma que navega em meio a neblina dos mares do Chile aterrorizando pescadores na forma de inúmeros e porque não dizer medonhos relatos sombrios  sussurrados em meio a noites lugubres no arquipelogo ou no mar e fazendo-se passar de geração em geração a ser recontada como mais uma nova História Sombria