Entre Quatro Paredes e Nada Mais LIVRO

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Ecos

Arte: Darlene Keeffe

Ecos
No silêncio
ecoa o verso.
No papel
escorre a tinta.
Não digas nada,
poeta errante.
Ouve o sino
tocar nas estrelas.
No silêncio
ecoa a palavra
que tanto esperou.
Da porta aberta
avista a paisagem,
e vive
aqui e agora
o que amanhã,
num gesto desesperado,
roubará aos amantes.
No silêncio
fugiram as rimas.
Bem sei, meu amante,
que sem elas não sou.
Mas recorda, poeta,
que nunca sei onde vou.
Dulce Morais