Entre Quatro Paredes e Nada Mais LIVRO

domingo, 23 de agosto de 2015

FANTASMAS DO TITANIC

 

 FANTASMAS DO TITANIC



No Domingo, 15 de abril, serão 103 anos do aniversário do naufrágio do RMS Titanic.Enquanto a história da tragédia do infortunado transatlântico ocupa as manchetes, há também outro tipo de histórias: Histórias de fantasmas. Confira essas histórias assustadoras sobre o Titanic.


Logo após a tragédia do Titanic, as equipas de busca e salvamento recuperaram 328 vítimas do navio, 209 corpos ficaram temporariamente na Snow & amp; Co. Funeral Parlour em Halifax, Nova Escócia. 



De acordo com a Encompass Magazine, a funerária é agora o Restaurante Five Fisherman, e a roldana original usada para içar os cadáveres do Titanic para o nível superior do prédio ainda está pendurada no teto da adega de vinhos. 



Hoje, acontecimentos bizarros, como vidros a voar das prateleiras, e talheres a cair no chão quando ninguém está por perto, são ocorrências comuns no restaurante. 



O gerente Gary MacDonald disse sobre os fantasmas do edifício: "Não é possível ignorar os fantasmas, deve reconhecê-los ou eles vão se fazer presentes".

Em 2008, o Atlanta Constitution Journal publicou uma história sobre o Aquário da Geórgia depois da exposição "Titanic Aquatic" exibida por lá. 



Vários voluntários do aquário relataram encontros estranhos quando trabalharam na exposição, que contou com centenas de artefatos relacionados com o Titanic.




A equipa do aquário trouxe investigadores paranormais, que determinaram que a exposição Titanic era de facto assombrada.

Segundo o San Francisco Chronicle, na década de 1990 um homem de San Francisco chamado Jaime Rodriguez alegou que ele e a família estavam a ser assombrados por um fantasma, um sobrevivente do Titanic que morou em seu apartamento. 



Mas o ex-morador, o Dr. Henry Washington Dodge não era considerado um herói do Titanic. Enquanto o Dr. Dodge afirmava que chamou mulheres e crianças para tomar um lugar no bote salva-vidas que abrigava a sua esposa e o filho naquela noite fatídica, ele subiu no bote, e enfrentou o julgamento público pelo resto de sua vida. 



Depois de sofrer um processo e uma perda financeira, ele caiu em depressão e cometeu suicídio com um tiro na cabeça na cave de seu apartamento em San Francisco em 1919. Seu fantasma apareceu no apartamento nos verões seguintes por anos, e sempre no mesmo local.



A lendária socialite Margaret "Molly" Brown sobreviveu ao naufrágio do Titanic, mas sua casa em Denver seria o local de alguns acontecimentos inusitados. 

De acordo com o blog Mysterious Colorado, esquisitices paranormais ocorrem regularmente no Molly Brown House Museum, em Denver, incluindo movimentos de mobília e avistamentos dos fantasmas de Molly e seu marido James Joseph Brown. 



Avistamentos da mãe de Molly numa janela do segundo andar também foram relatados, assim como odores misteriosos, que seriam do tabaco de Joseph Brown e do perfume de rosas favorito de sua esposa.

Neil e Louise Bonner
De acordo com o Daily Mail, a casa na Inglaterra em Stoke-on-Trent onde o capitão do Titanic nasceu e morou até a adolescência também tem uma história assustadora de aparições. 



Os proprietários, o casal Neil e Louise Bonner, estão convencidos de que viram o fantasma do comandante do navio. O casal alugou o imóvel por uma década. Antigos inquilinos relataram também uma misteriosa inundação na cozinha e um frio glacial na sala de jantar.
 


Caçadores de fantasmas pretendem investigar o Titanic

Um grupo de “caçadores de fantasmas” está planejando fazer uma visita ao Titanic e conferir se as almas das vítimas do naufrágio ainda rondam o navio.
Eles esperam conseguir alguns indícios através de aparelhos de EVP (Fenômeno de Voz Eletrônica) que, supostamente, conseguiriam gravar a voz de espíritos que ainda estejam no Titanic. Segundo o especialista no Titanic William Browner, apesar do naufrágio ter ocorrido a 99 anos, as pessoas que morreram lá podem ter deixado uma “impressão de energia” no lugar, que ainda se faz presente de alguma forma e que poderá ser detectada.
De acordo com Browner há uma teoria de que traumas muito intensos, como passar por um naufrágio antes da morte, podem fazer com que a emoção das pessoas fique impressa, encravada, nos lugares em que esses traumas ocorrem.
Matthew Kelley, outro integrante da expedição, acredita que eles poderão criar novas formas de entrar em contato com os espíritos. Por exemplo, eles irão comer uma recriação da refeição que as pessoas do Titanic comeram antes do naufrágio para ficar mais “em sintonia” com os espíritos. Eles também irão tocar a mesma música que eles ouviram naquela noite.
O problema de tudo isso? Eles precisam de 83 mil dólares para conseguir fazer a pesquisa e a expedição. E achar gente que se interesse em dar todo esse dinheiro para encontrar fantasmas é muito difícil.
SERÁ QUE VALE A PENA?