Entre Quatro Paredes e Nada Mais LIVRO

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

O TAMANHO DE UMA IDEIA (por Danka Maia)

       


Sabrina ouviu a vida toda, de todos os cantos e de todas as pessoas coisas do tipo:

_Você é uma burra!

_Pessoa que assim não chega a nada!

_Idiota, até parece que essa anta vai virar gente!

        E por anos creu nisto,porque a questão não é o que somos,infelizmente ,as vezes pomos isto de lado e passamos a valorizar o que  o outro pensa sobre nossa capacidade e julga-se ali, com nossa permissão,o que seremos.

        Passaram trinta nos.

        Por trinta anos Sabrina se abandonou e confiou em tal tolice, e a vida implacavelmente passou, porque esta tem pressa sempre.
      Cansada de não ter o que dizer as irmãs, genros e sobrinhos que se reuniam a cada domingo parar arrotarem uma ostentação bestial e sobrepuja-la com o ar irônico:

_A Sasá é que deve ter muita coisa para nos contar não é?- e gargalhadas sobrevinham arfantes de todos os lados. Foi disto que se enfadou e decidiu procurar uma escola perto de casa, recomeçar praticamente do zero, afinal não lembrava mais de nada, nem mesmo que quem era e pior, sofria por quem poderia ter sido.

         A professora  foi solícita, deixou que senti-se em casa.As letras eram confusas,assim como as palavras tal como a vida da agora senhora Sabrina.    
    
        Muitas vezes pensou desistir.

        Muitas vezes a Professora Raquel a reergueu:

_Vamos! Você é capaz!

        Um dia depois de um teste outra reprovação. Sabrina constatara que as palavras dos seus tinham razão. Faltava-lhe a inteligência.

_Professora quero agradecê-la por tudo, mas,realmente acho que não nasci para isso.- deixando um lágrima rolar do canto esquerdo do olho.

_   Por que foi tirou uma nora ruim Sabrina?- pasmou a docente.

_E não é o suficiente?- replicou.

_Sabrina, você não viu ainda mesmo onde foi que você mesma mudou a sua vida,não é?- lançando uma pergunta capciosa para a aluna agora  intrigada.

_Como assim?

_Querida,desde o dia que entrou nessa sala, sentou nesta carteira,a velha Sabrina se foi.O que vier por diante será o seu apogeu.

_Por que Professora Raquel?- Sabrina carecia compreender aquelas palavras.

A mestra apanhou um livro e leu para ela a seguinte citação de Albert Einstein:

"A mente que se abre a uma nova ideia jamais voltará ao seu tamanho original." - E prosseguiu:- Nunca mais a mente será a mesma que você permitiu durante esses trinta longos e penosos anos porque decidiu crescer.

_Que tamanho pode ter uma ideia Professora Raquel?

_Do mesmo tamanho que mente tem em acomoda-la Sabrina. Exatamente o mesmo.

         Sabe leitor, todos os dias milhões e milhões de ideias são concebidas, entretanto como o amor, caem no mesmo erro.Não existe a falta de amor e sim a falta de querer amar.Assim como não há a falta de ideias, faltam a vontade,a coragem, a força de realiza-las.