Entre Quatro Paredes e Nada Mais LIVRO

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Comendador Carlos Donizeti





Decepção...

Amigos... Tenho lutado em vão ao tentar me aprimorar em novos conceitos de vida ou de tecnologias...
Às vezes quanto eu mais luto sinto que resulta a nada, estou como se estivesse num funil ao qual eu tento sair e expandir, mas sou puxado e concentrado em uma só direção do cerne.
Meus conceitos de vida são de muitos anos atrás e estes me prendem ao segurar-me nas minhas ascendências...
Não vivo para exterior, mas para o interior como se algo me chamasse ao núcleo...
Vivo ao procurar vestígios em livros antigos, músicas de minha vida pueril estas me fazem renascer...
Tudo pra mim nesta experiência é absurdo, sou uma escritura antiga talvez escrita com tinta nas paredes de cavernas o qual nem eu mesmo consigo interpretar...
Por isso consigo viver sempre a procura de algo que possas dizer e satisfazer minhas raízes...
Às vezes sinto que minha vida está plantada no piso, outras ao longo do mar...
Meus pensamentos e visões imagens não estão distantes da estética e são vivos na metafísica...
Por isso, estou nesta luta sem tréguas oras estou mais dormindo do que acordado...

Carlos Donizeti (DA)