Entre Quatro Paredes e Nada Mais LIVRO

quarta-feira, 29 de julho de 2015

Amante Oculto Por Danka Maia






Teus Passos São leves e contundentes,


Ficam ardentes,


Paixões Queimam,


Emoções Exorcizam


Que Só meu Espírito Conhece.


QUANDO Estes Passos amolgam Neste divino de solo de Vidro.


A SUA imponência me Faz ter Sensações,


Sonhos me Tomam,


Outros me invadem,


Lembranças Saltitam,


E Quanto SINTO o teu cheiro,


Ah o Quanto de mim rápido Você tem?


QUANDO A Minha língua Encontra o,


Cá nsa Meus adágios,


Pelo meu Corpo percorre


O teu gosto that PODE Sor


Doce, seco, sereno OU forte,


Jamais Mais amargo,


Esse E o teu afago.


Dar-me o teu Sabor e aveludado,


Há som no teu Silêncio


Dentro Dos Meus Lábios,


E ISTO te Torna meu amado,


É Isso que me seduz.




Um dia se passa,


A lareira ESTÁ Fazendo o Seu papel,


Deito com hum exemplar Nos Braços.


Olho-te,


Desejo,


Reflito ...


Entrego-me!


De ti NÃO cativa sou,


Se fosse Isto É,


O poesia se perderia.


O Nosso Caso e Meio bandido,


Porque Só te procuro


QUANDO algo obscuro me Enlouquece,


Entao tu me recebes,


Neste divã de sabores,


Onde sou


Tudo e nada,


E MESMO Ao ritmo imortal.




Agora Divago Sobre ti, meu pleno rei,


Meu doce carinho,


Alguns te titulam pecado,


Outros de Libido,


Para MIM tu és o MESMO,


Charmoso amante Vinho.