Entre Quatro Paredes e Nada Mais LIVRO

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Lábios de Veludo

Oh! Minha amada,
Meu amor,
És tão delicada,
E de tanto valor...

No teu beiço,
Na tua face,
Vejo resplandecer no espelho,
A tua força de vontade.

Minha vida,
Meu tudo,
Minha querida,
Meu mundo!

Lábios aveludados,
Assim como o avelã,
Que na nossa noite de amor foram marcados,
Assim como nossa vida no ecrã...

No cinema da realidade,
Na novela da verdade,
Mentira não há no nosso amor,
Assim como eu te dou valor.

Meu tudo,
Minha querida,
Minha amada,
Minha vida!



Simon-Poeta