Entre Quatro Paredes e Nada Mais LIVRO

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Desabafos Poéticos


Clama a alma do poeta
Uiva alto feito lobo
Grita escreve e interpreta
Ele é tudo menos bobo!
Sofre a dor da despedida
De uma partida sem volta
Sua essência tão sofrida
Nem o desabafo o conforta!
Chora letras em alvas páginas
Declama um puro lamentar
Converte tudo em cristais lágrimas
Desde o deitar ao levantar!
O sofrimento que lhe atinge
Como flecha cravada ao seio,
Essa dor que ele finge
Engana só quem não é do meio!
Pois quem é conhece tudo
O cérebro e seus pensares estéticos
Esse conhecimento de mundo
Gritam os desabafos poéticos!


Por Osny Alves