Entre Quatro Paredes e Nada Mais LIVRO

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Independência Ou Morte

Imagem Google
Eu fico olhando essa gente importante
Que ficam lá fazendo nada no senado,
Chega ser até algo muitíssimo irritante
Os que brincam de votar e faz errado!

Agora ao chegar o dia da independência
Imagino como seria a velha monarquia,
Talvez não houvesse tanta intolerância
Vai ver não estaria esse caos e anarquia!

Como sempre deixam o povo bajulado
E tanta gente com esse salário de miséria,
Prometeram um pagamento avantajado
E a maioria do povo pensou ser coisa séria!

Recebem um baita salário até supimpa
E somos nós que pagamos o salário dele,
Esses parlamentares nem tem a ficha limpa
Enquanto o povo em clamor e à flor da pele!

É essa gente aí que implora por seu simples voto
Que não tem que apanhar ônibus e trem lotado,
Não morrem nas estradas sobre uma moto
E não vai para a cadeia mesmo sendo culpado!

E o faminto clama em dia ensolarado e noite fria
Os coitados que nem tem ficha suja ou ficha alva,
E recebem como premio a morte quem já sofria
Nem a dona Justiça espera mais que seja salva!

E me recordo às margens plácidas o grito
Pobre dom Pedro que clamava a pura sorte,
Mas até hoje vejo um povo fraco e aflito

Que não teve independência, mas tem a morte!