Entre Quatro Paredes e Nada Mais LIVRO

sábado, 24 de agosto de 2013

CONFISSÕES DE UM BANHEIRO PÚBLICO! Por Luiz Tamburro


         PARTE I



   Bom dia! Deixe que me apresente: sou um banheiro público, porque está espantado ?  Você  não sabia que banheiros podem  se comunicar ? bem, decerto que vc não pode nos ouvir, mas nós banheiros, nos comunicamos com você visual e fisicamente ( quando estamos limpos, sujos, mal cheirosos ... ).
                    Sabe, vejo muita coisa nesta minha vida e cada uma terrível, é certo que já vi também coisas interessantes e outras até  mesmo emocionantes.
                    Por isso ando um tanto depressivo... Posso dizer até que... "às raias da loucura... “  nós banheiros somos muito solitários e, não tendo com quem conversar, desenvolvemos a capacidade de nos comunicar telepaticamente... Desta forma conseguimos trocar informações e impressões entre nós, numa tentativa de aliviar nossas tensões diárias e evitar até um stress, o que causaria um entupimento de nossas  “ veias “, há, sim, de nossos canos ( como vocês conhecem ), o que certamente traria sérios transtornos aos humanos  ( humanos ? ).
                     Eu sou um banheiro público subterrâneo dos mais antigos da cidade, fico numa praça e creio que eu tenha uns 100 anos... Sério.... Já estive uns anos fechado, virei casa de mendigos, já aconteceram inclusive alguns crimes e pequenos delitos no meu interior ! Mas já passei por muitas reformas, já fui todo  “ quebrado “  várias vezes e me “ refizeram “ outras tantas ...            Também já perdi as contas de quantas vezes fui e sou depredado pelas madrugadas...  No carnaval então... Nem – te - falo !!!
                      Acho que estou ficando velho, ando depressivo, às vezes saudoso... Se não fossem as experiências de meus amigos talvez eu já tivesse estourado minhas “ veias “ entupidas e estaria hoje em estado terminal, se bem que estou bem próximo disto...
                      Mas, embora eu troque experiências com meus companheiros, me senti na necessidade de conversar com um humano           (  humano ? )... Desculpe a interrogação, mas acontece que os humanos são os grandes culpados da minha depressão e, tenho certeza, da depressão de meus companheiros, porque, sabe... Nós também temos sentimentos.
                       Vou lhe contar tudinho, pode ser que você se consiga nos ajudar ou ao menos tentar melhorar um pouquinho nossas condições de trabalho, já que nem de um sindicato dispomos.... É o seguinte:
  Há uns cem anos, quando fui inaugurado fizeram uma grande festa, pois passei a ser o marco da civilização para a nossa cidade, poxa, vieram as maiores autoridades da cidade, os nobres, os homens vestiam ternos e chapéus, as senhoras com seus longos e rodados vestidos e chapéus europeus... Uma belezura... Lembro bem do governador discursando:

 _ prezadas autoridades, senhores e senhoras de nossa amada e auspiciosa cidade! Estamos reunidos aqui para a grande inauguração daquele que será o marco e que, aos moldes das grandes cidades europeias, nos elevará ao posto de cidade civilizada,... O primeiro banheiro público do rio de janeiro.... blábláblá... Dotado das mais modernas instalações do momento....
Teve comes e bebes, sarau e o escambau... Muita badalação para a época... Mas depois... Não me lembro de nenhum  “ nobre “ ou autoridade me utilizando, pelo contrário, até me evitavam, passavam o mais longe possível...

As pessoas simples das ruas, descamisados e mendigos eram os únicos  “ usuários “ das minhas dependências, talvez este tenha sido o motivo pelo qual  os mais abastados não me utilizassem... Nunca entendi isso, porque, até que eu saiba, pobres e ricos fazem as mesmas coisas no banheiro... Ou será que existe alguma diferença ?
Hoje, particularmente, estou triste. Nesta madrugada um grupo de homens bêbados entrou aqui falando de uma forma tão estranha que eu até pensei que fossem mulheres... Falavam cada coisa ! Gesticulavam muito, parecia que seus pulsos eram de borracha, de tanto que o balançavam para lá e para cá... Depois, quando reparei melhor, fiquei totalmente confuso, pois, eles usavam roupas de mulher ( inclusive as íntimas ), alguns ostentavam seios, mas, ôôô ... Bem, como vou dizer... Aquilo que faz a diferença entre sexos... Sabe ? Era de homem !!! Que confusão !!! Prá dizer a verdade, “ pirei na carrapeta ! “ olha, gente, nem dormi de tão confuso... e o pior as coisas que faziam não eram coisas que homens devam fazer com homens...
Procurei ajuda com meu companheiro do banheiro feminino e ele me disse que aqueles homens ( homens ? ) eram chamados de homossexuais ou, mais popularmente de gays... Meu deuuuussss !!!!  É o fim do mundo !
Ele me contou que são homens ( homens ? ) que além de se travestirem de mulher, agem como mulher, e até mais exageradamente, e se acham mulher ! Disse-me que muitos se mutilam, colocam um tal de silicone, ( será que é o mesmo que usam aqui na minha limpeza ? ) para imitar seios, “ encher “ nádegas e até operam e retiram o órgão masculino !!! Nunca poderia imaginar tal coisa... Sim, não posso negar que nestes quase cem anos de existência não tenha entrado aqui um ou outro homem ( homem ? ) mais delicado e que um ou outro não tenha se portado um tanto inconveniente, mas... Agora a coisa ficou muuuuuuuuuito estranha.... É uma pena... Sempre achei o homem forte, viril e... Macho... Meu companheiro ainda me disse outra coisa que acabou de arrepiar minhas canalizações... Que também existiam mulheres que se vestiam e portavam como homens... será que tenho que rever estes meus conceitos ?
O pior é que ainda recebi uma notícia que para alguns poderia ser de pura felicidade, mas, confesso que fiquei triste e apreensivo... Meu companheiro, o banheiro feminino, disse-me que ouviu eles falarem que estava “ tramitando “  na câmara de vereadores uma lei que nos daria um “ irmãozinho ... “ , não entendeu ? Estavam para criar um banheiro para gays ! onde será que vamos parar ? Como serão as placas ... Damas, cavalheiros e “ tanto faz “ ?
bem, se é para me alegrar, pelo menos sei que a família vai crescer... aliás, sei que minha “ estirpe “ está fadada a quase eternidade, pois enquanto houverem homens, haverão banheiros !              ufa ! ainda bem, minha descendência está garantida !
mas meu companheiro também se mostrou saudoso do tempo em que mulheres, embora simples na sua maioria, o utilizavam cheias de “ coisinhas “ com sua higiene... ele contou que se divertia muito com as fofocas em suas dependências e riu muito quando uma delas, depois de fofocar e contar para outra que havia traído o marido disse:
_ há, se banheiro falasse !!!

O engraçado é que ele “ pensou” : _ eu não falo.. Mais ouço tudo !!! Pensando bem, sabe que aquela mulher disse algo                                             interessante ?  já pensou se nós falássemos ? Talvez agora eu e meu companheiro não estivéssemos passando por esta depressão, pois, toda vez que alguém fizesse algo errado aqui dentro eu gritaria: _ ô cara, não joga o papel no chão,  não !...  Ou  então: _  seu porco, puxe a descarga ! ...   Melhor ainda: _ seu porcalhão, tá pensando que está em casa ???   Bem, no mínimo ia me divertir um bocado e ia me sentir muitíssimo aliviado !
Então eu, que precisava de conselho, acabei por chorar junto com meu amigo... chorei muito, até que alguém entrou e... Fechou as torneiras...
Amanheceu o dia e eu me sentia cheio de “ olheiras “... Estava todo molhado, sujo e mau cheiroso... as pessoas que entravam pulavam as poças e xingavam cada vez que mexia numa torneira quebrada ou usava um vaso “ lotado “... hug ! Nem eu aguento !
Sabe ? Uma vez eu me aborreci... Fiquei enraivecido com tanta sujeira que  jurei que encararia o primeiro que entrasse, mas com educação, pois ao contrário dos homens ( homens ? ) eu sou muito educado e falaria para ele:

­_” caro amigo... eu sou um banheiro... há, sim, sei que você me conhece... sabe... eu já tenho péssima fama: sujo, fedorento etc. e o pior é que eu não me sujo sozinho ou cheiro mal à toa... eu sou usado para que você tenha sua higiene impecável, mas, à julgar pelo estado que você me deixa  me vejo como o seu espelho ! isso me dói muito, eu não mereço ! então, caro amigo, se você realmente se preocupa em tratar bem da sua higiene, trate da minha... aí sim, eu me orgulharei de ser o seu espelho... “

Entrou o primeiro e quando ele se colocou de frente para minha parede e com uma mão se escorou nela e com a outra... bem... estava  se aliviando, eu olhei bem para os olhos dele e... não saiu nada... banheiro não fala... fiquei um tanto decepcionado comigo mesmo e irado quando ele  saiu  “ balançando “ e molhando tudo com as últimas gotas...
com meus  “ olhos marejados “  passei a olhar para meus membros, vasos, pias, mictórios... quanta  decadência... tampos quebrados e sujos, vasos entupidos de... você sabe o quê... torneiras sem carrapetas que choravam sem parar... nichos sem portas...                    “ jornal higiênico “  espalhado por todo canto... e minha depressão se acentuando...
quando pensei que estava na pior, um outro amigo, o banheiro da rodoviária me chamou:

­_ oi, publinho... tô te sentindo muito triste... posso te ajudar ?
respondi: _ só se a sua situação for melhor, expressinho, porque a minha... tem acontecido algo aí que me dê alegria e levante o meu moral ?


_  eu sinto muito por você, mas eu sou o banheiro mais feliz do mundo !

_  eu sei, vc é um banheiro terceirizado ... disse eu.

_  é... ( disse ele com entusiasmo ) coisa de 1º mundo ! aqui tem uma empresa que é paga para cuidar de mim o tempo todo, as pessoas que entram aqui tem que pagar, um xixi custa hum real ! imagine para tomar banho ou o  “ nº 2  ! “. Não falta papel, não tem torneira quebrada ou vasos sujos... toda hora tem gente esfregando o chão ou limpando os sanitários...

_ se você acha que está me ajudando, esquece... só me deixou mais deprimido ainda e com inveja de você... você é um banheiro de sorte, já nasceu com o vaso prá lua ! ( comentei louco de inveja ).

tá vendo só ? uns com tantos, outros com pouco e eu, um banheiro centenário, sem nada...
resolvi então entrar em contato com outros banheiros para saber quantos estão como eu... me esforcei telepaticamente e consegui contato com o banheiro de cinema !

_ fala aí, companheiro glamouroso ! tudo bem ?                          ( perguntei )

_ bem nada ! ( respondeu ele ) estou passado, nunca pensei que acabaria meus dias com tanta decadência !

perguntei: _ mas o que houve glamouroso ?

_ acho que ser banheiro de cinema é pior que ser banheiro público como você...  é a pior coisa do mundo ! você nem imagina... passo o que você passa aí e ainda pior, pois às vezes as coisas acontecem durante o dia... e quando é filme pornográfico ! fico apavorado... medo de engravidar... pegar aids... ( disse ele exagerando )

_  banheiro não engravida amigo e nem pega aids... isso é coisa para humanos ( humanos ? )... disse-lhe divertidamente.

- sei, mas se engravidasse, nem sei quantos filhos já teria... e se pegasse aids eu não teria a mínima chance de sobrevivência !

Deixei meu amigo com os problemas dele com a nítida sensação de que eu realmente podia ter esperança... Eu não era um banheiro de cinema. Mas continuei a minha busca...

Continua...