Entre Quatro Paredes e Nada Mais LIVRO

domingo, 22 de janeiro de 2017

Afrescos mostram como era a vida sexual na extinta cidade de Pompeia

<p></p>

Pouquíssimas coisas resistiram à erupção que destruiu Pompeia, a lendária cidade italiana. Entre os resistentes, arqueólogos encontraram afrescos que mostram completamente como era a relação daquele povo com o sexo.
As pinturas em questão, que revelam essa relação com a proximidade, estão em um prostíbulo descoberto no século 19. Apesar do tempo de descoberta, o local só foi aberto para o público recentemente.
<p></p>

Segundo os pesquisadores que encontraram o Lupanar, prostíbulo em questão, as pinturas são de grande realismo. A maior tendência é que elas retratem as práticas oferecidas na casa, como uma espécie de vitrine.
<p></p>

O que se sabe com certeza é que o Lupanar era um local que servia como centro de reunião entre políticos e empresários da época. Os serviços sexuais oferecidos no local eram majoritariamente de mulheres, mas havia também homens jovens. A maioria dos funcionários era ex-escravo.

"Os homens casados, nesta época, podiam dormir com qualquer uma, desde que mantivessem as mãos longe das esposas de outros homens. As mulheres casadas, no entanto, não podiam ter relações sexuais com mais ninguém. E tudo isso é visto no Lupanar", explica a professora Kelly Olson.

Fonte: yahoo