Entre Quatro Paredes e Nada Mais LIVRO

domingo, 20 de setembro de 2015

As escadas mais sinistras do mundo

Elas são grandes coadjuvantes da vida de todos nós. São elas que nos fazem “subir na vida”, mas também têm o poder de nos fazer “descer”. Algumas vezes de forma tão abrupta que jamais vemos qualquer degrau com os mesmos olhos. Elas podem ser o terror de alguns moradores de altos edifícios em dias sem energia elétrica, mas também podem simbolizar uma conquista, um feito.
Cena clássica de treinamento de Rocky, na qual o personagem comemora ao terminar seu treino no topo de uma escadaria
Elas, ainda, são determinantes em muitos filmes e novelas, quando são utilizadas pelos vilões para matar um dos personagens da trama. Em outros casos são as responsáveis por salvar milhares de vidas durante um incêndio, ou em uma tragédia como nos atentados terroristas às Torres Gêmeas, em 11 de setembro de 2001.
Poucas pessoas param para notar o quanto sobem e descem escadas e degraus em um dia. Entretanto, há algumas escadarias ao redor do mundo que marcam a vida das pessoas que têm a oportunidade de visita-las, tanto pelo que se vai encontrar ao final delas, quanto pela aparência, altura e complexidade da construção de seus degraus.
Para explicitar o que esses itens podem representar na vida das pessoas, o Mega Curioso apresenta as 10 escadas mais sinistras do mundo. Veja:

1. A escadaria do Templo Angkor Wat, no Camboja

Com quase 70% de inclinação, é a dificuldade e a complexidade que fazem dessa escada uma das mais sinistras do Mundo. Segundo o site Travel and Leisure, os guias da região explicam que os degraus que levam ao templo budista foram projetados para mostrar a o quão difícil ac é chegar aos céus. Os degraus são tão estreitos que as pessoas precisam de apoio para poderem descer.

2. The Verrückt, Kansas City, EUA


Essa escadaria tem seu lado sinistro não é à toa, pois ela dá acesso ao maior tobogã aquático do mundo, o “The Verrückt”. Lá em cima você tem duas escolhas: você desce os 50 metros voltando pelos 264 degraus, ou escorrega pelo brinquedo com a água. Mas pense bem, pois se escolher escorregar, você pode atingir mais de 100 km/h. O vídeo acima dá uma boa noção de como é a escadaria e como é o tobogã. Aah, só para efeito de curiosidade, a queda é mais alta que a das cataratas do Niágara.

3. Cachoeira Caldeirão do Diabo, Equador

As escadas que levam para um tour na queda do Caldeirão do Diabo são complexas e oferecem alguns riscos pois são estreitas e lisas, tanto pela umidade, quanto pelo material de que são constituídas. Olhando para baixo, a escadaria se camufla entre as pedras e a vegetação local, mas não é para menos, já que ela foi projetada para isso, não alterar a paisagem da queda. Inclusive a cor da construção foi composta para que a escada parecesse feita de pedras deslizantes.

4. Half Dome, Califórnia, EUA

O topo é interessante, afinal oferece a vista de todo o Parque Nacional de Yosemite e do alto da Serra Nevada. Mas a subida pode ser intrigante, na medida em que nem degraus há para chegar ao cume. Esse caso nem chega a ser uma escada tradicional, pois a ascensão é feita por uma trilha com cabo de aço e a inclinação é praticamente vertical, fazendo dela uma das subidas mais sinistras do mundo. O Half Dome é o pico mais emblemático do Parque de Yosemite.

5. Escadas Incas, Peru

Estreita, íngreme, úmida e irregular são algumas das características da escada que leva os turistas para Machu Picchu, a “Cidade Perdida dos Incas”. De um lado, há um paredão de pedra e, do outro, uma imensurável queda para o rio Urubamba. A escadaria é feita de pedras de granito e foi construída 500 anos atrás. Do alto de mais de 180 metros, pelo menos a vista é recompensadora.

6. Escadas de Flørli, na Noruega

Se você estiver na Noruega, pode visitar a trilha da Estação de Energia Flørli e se deparar com uma das, senão a escada mais sinistra do mundo. Mas por quê? Talvez porque ela tenha mais de 4,4 mil degraus. Ou porque ela leva a uma altura de quase 740 metros. Ou, talvez ainda, porque ela seja inteiramente feita de madeira, o que vai deixar sua adrenalina um pouco mais intensa a cada rangido que você ouvir e tremida que você sentir.

7. Escadas de Haiku, Hawaii

Quando você acha que viu a escada mais sinistra do mundo no item anterior, você se depara com essa de Haiku, em Oahu, no Hawaii, que também é conhecida como “Estrada para o Céu”. Ela foi construída durante a Segunda Guerra Mundial pela Marinha dos Estados Unidos como uma maneira de instalar fios para comunicação no alto dos morros. Feitas de metal e extremamente perigosas, as escadas de Haiku foram fechadas para visitação do público em 1987, por motivos de segurança. Segundo o site Travel and Leisure, elas assim permanecem até hoje, inclusive com um guarda no início para impedir que pessoas subam pela armação.

8. As escadas do Exorcista, Washington D.C.

Não só pela altura, complexidade, ou dificuldade em subir que uma escada pode ser considerada sinistra. A história que a envolve também pode ser um ponto importante para que os degraus se tornem assustadores. E essa é a grande característica deste local, pois foi aqui que aconteceu uma das cenas épicas do filme “O Exorcista”, na qual um homem rola escadaria abaixo. A cena, feita por um dublê, precisou ser gravada em dois takes.

9. Escadaria para o Inferno, Hashima, Japão

Nesta lista, nós já mostramos a “Estrada para o Céu” e agora apresentamos a “Escadaria para o Inferno”, como são conhecidos os degraus deste item. Eles ficam localizados na ilha industrial abandonada de Hashima e consistiam na principal via de passagem da colônia que morou e trabalhou na indústria local entre as décadas de 1950 e 1970. A aparência macabra gerada pelo abandono faz com o que a Escadaria para o Inferno seja uma das mais sinistras do mundo.

10. Escada em espiral das Montanhas Taihang, China

Bem, a imagem aérea dessa escadaria localizada na cidade de Linzhou, nas Montanhas Taihang, ao sudoesta de Pequim, já fala por si só. Mas alguns dados reforçam o porquê de ela estar figurando nesta lista. São mais de 90 metros de altura de uma estrutura em espiral que completa 21 voltas ao redor do pilar central. Pra descer, “todo santo ajuda”, mas e pra subir? Haja fôlego…