Boto: O Prazer Vem Das Águas no Amazon!Confira!

domingo, 5 de julho de 2015

7 crenças populares sobre destinos turísticos famosos que estão erradas


Viajar é uma das coisas mais divertidas e interessantes que podemos fazer em nosso tempo livre. No entanto, como em praticamente qualquer atividade que envolva seres humanos, mesmo isso pode dar muito errado.
Por exemplo, se você vai para algum lugar já achando que algo vai lhe dar muitos problemas, é bem provável que isso realmente se realize. Ou se acredita piamente que verá algo que todo mundo diz que acontece em tal lugar, mas aquilo não ocorre, fica decepcionado.
Há alguns “fatos” sobre lugares famosos que costumamos repetir como se fossem verdades universais, mas que muitas vezes estão completamente errados. Vamos enumerar alguns deles e esperamos que isso faça com que você repense aquele roteiro turístico que estava planejando fazer nas próximas férias para incluir algum desses destinos maravilhosos.

1. A Noruega não é um país coberto de neve

Vista aérea da cidade de Oslo, capital da Noruega
O país é um dos poucos em que se pode ver a aurora boreal, fenômeno óptico em que luzes coloridas parecem dançar pelo céu. Por isso só acontecer na região polar, há quem acredite que o país inteiro está sempre coberto de neve e sob temperaturas baixíssimas.
Na verdade, somente o extremo norte da Noruega está dentro do Círculo Polar Ártico, enquanto as áreas mais povoadas possuem um agradável clima temperado e com bastante vegetação verde, principalmente durante os meses de inverno.

2. Ocidentais não são proibidos de entrar no Irã

Turistas americanos posam para foto junto a alguns estudantes da Universidade de Isfahan, no Irã
Apesar de ter relações diplomáticas rompidas com os Estados Unidos desde 1979, o Irã não proíbe que americanos ou quaisquer outros cidadãos do “mundo ocidental” visitem suas belas cidades.
Caso você tenha interesse em conhecer o país, precisa apenas conseguir um visto na embaixada iraniana em Brasília antes de viajar, já que não é possível conseguir o documento após sua chegada lá. Com uma rápida pesquisa na internet você já consegue quase todas as informações de que precisa. E os iranianos adoram brasileiros, aliás.

3. Na Austrália, você não verá cangurus e coalas por toda parte

O monólito Uluru – mais conhecido como Ayers Rock – e uma placa de travessia de cangurus no Outback, o deserto australiano
A menos que você vá a reservas ambientais ou zoológicos, é muito improvável que você veja algum coala ou canguru enquanto estiver passeando pela Austrália. Com sorte, talvez possa cruzar com algum deles se resolver fazer um passeio pelo famoso deserto australiano, o Outback.
Falando nele, saiba que 90% da população do país vive em áreas metropolitanas ou costeiras, por isso também não espere encontrar o Crocodilo Dundee ou uma tribo de aborígenes enquanto estiver atravessando o deserto.

4. Há mais na Tailândia do que as cenas que você viu em “Se Beber Não Case! Parte II”

Barcos em Phuket, maior ilha da Tailândia, situada na costa oeste do país e a 825 km de Bangkok
Não dá para negar que nas maiores áreas metropolitanas do país, especialmente em Bangkok, há uma verdadeira indústria do turismo sexual e dos jogos de azar, mas isso obviamente não representa o país todo.
A Tailândia possui paisagens belíssimas, como praias, cachoeiras no meio da floresta e montanhas, além de construções históricas de beleza ímpar. E não se preocupe com a comunicação por lá, uma vez que o inglês é ensinado nas escolas e universidades tailandesas.

5. Mulheres não precisam cobrir a cabeça em todos os lugares do Oriente Médio

Turistas comprando bolos e doces em mercado público de Marrakech, no Marrocos
É verdade que em alguns lugares essa regra é válida, principalmente nos países muçulmanos mais conservadores, como a Arábia Saudita. Mas em muitos países o uso do lenço cobrindo os cabelos só é obrigatório quando uma mulher adentra uma mesquita.
Em Dubai e no Marrocos, por exemplo, é perfeitamente aceitável que as mulheres fiquem apenas de biquíni enquanto aproveitam as piscinas dos hotéis em que se hospedam. Basta que, quando for dar uma volta pela cidade, a mulher não use roupas provocantes ou coladas ao corpo, além de cobrir os ombros e joelhos. E é claro, se vestir de um modo que não desrespeite a cultura local, por isso é bom se informar sobre o assunto.

6. Não são todos os parisienses que são mal-educados

Garçom preparando um prato de bife tártaro no restaurante Le Train Bleu, em Paris
Paris é uma das cidades mais famosas do mundo (se não for a mais) e você provavelmente já sonhou pelo menos uma vez na vida em viajar para lá. Mas também já deve ter ouvido falar que os parisienses não são exatamente o povo mais receptivo do mundo, normalmente tratando os turistas de forma bastante rude.
É claro que há situações em que isso é verdade, mas o mesmo pode acontecer em qualquer lugar. Há muitos moradores de Paris que adoram turistas, e se você arriscar pelo menos uma meia dúzia de frases em francês – nem que seja para dizer que você não sabe falar a língua local –, isso vai abrir muitas portas.

 7. As Pirâmides de Gizé e a Grande Esfinge não ficam no meio do deserto

Os limites dos subúrbios da cidade do Cairo estão apenas a algumas centenas de metros da Grande Esfinge de Gizé
Sempre que vemos alguma imagem da famosa Grande Esfinge, ela parece estar repousando sobre um infinito mar de areia enquanto guarda o complexo conhecido hoje como Necrópole de Gizé. É lá que estão as igualmente famosas pirâmides dos faraós Quéops, Quéfren e Miquerinos.
No entanto, se você observar na imagem acima, vai perceber que basta alguns poucos minutos de caminhada a partir dos subúrbios da cidade do Cairo para poder contemplar esses monumentos milenares. Dependendo de onde você ficar hospedado, é possível ter uma bela vista de todo o sítio arqueológico da região da janela de seu quarto.