IKANATON no Amazon!Confira!

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Teste de QI para cachorros consegue dizer se seu amigo canino é um gênio

Por conta de tudo o que conseguimos fazer usando apenas nossa inventividade, nós muitas vezes acabamos menosprezando o intelecto de outros seres vivos – como cachorros, por exemplo –, e nos achamos incomparavelmente superiores a eles. Isso se torna ainda mais fácil quando levamos em consideração que, em certos casos, basta posicionar um filé suculento em um local estratégico para distrair o bichinho de sua tarefa.
No entanto, não é preciso procurar muito para encontrar quem consiga descrever momentos em que seus cães deram sinais de pura genialidade – e é exatamente o que podemos ver na história de Wallis Brozman. Portadora de uma desordem de movimento que faz com que seu corpo fique subitamente paralisado de tempos em tempos, a jovem norte-americana só pode se locomover com segurança precisa utilizar uma cadeira de rodas guiada por seu cão, Caspin.
Certo dia, Brozman levou o misto de labrador com golden retriever para passear em um lugar onde o cão pudesse fazer suas necessidades e deixou o animal solto, sem prendê-lo à coleira que utiliza para que ele a guie quando sofre uma crise de paralisia – o que acabou acontecendo justamente naquele momento. “Eu não conseguia falar nem gritar e não tinha um celular para mandar mensagens de texto”, explica a jovem californiana.

Quando a garota pensava que ficaria isolada naquela situação até que alguém os encontrasse por acaso, Caspin percebeu que algo estava errado e aproximou seu pescoço da mão da dona até que ela conseguisse prender um de seus dedos no seu colarinho. “Então ele começou a me puxar muito lentamente, empurrou a porta de casa para que se abrisse e ficou ao meu lado até que eu conseguisse me mover o bastante para ir até a minha cama”, conta Brozman.

Tipos de genialidade

Com base em um estudo desenvolvido por um grupo de pesquisadores da empresa Dognition, Caspin é o exemplo perfeito de um dos tipos de genialidade canina, podendo ser classificado como um “protocão”. Utilizando 20 tipos distintos de jogos voltados para os totós, o sistema de análise da companhia consegue identificar os níveis de empatia, comunicação, esperteza, memória e raciocínio do bicho, permitindo dividi-los entre nove categorias.
A seguir, você pode conferir as descrições de cada um desses tipos de cachorros:
  • Charmoso: com noções sociais excepcionais, esses animais conseguem entender perfeitamente a linguagem corporal humana. Por ser acompanhada por certa capacidade de resolver problemas de forma independente, os cães charmosos costumam ser travessos;
  • Ás: capazes de resolver problemas e agir de forma perfeitamente sociável, eles constroem elos com facilidade e são bons em fazer quase tudo. Espertinhos, eles sabem quando fizeram algo errado e tentam escapar da punição fazendo cara de coitados e sendo carinhosos;
  • Einstein: tremendamente inteligentes, esses cachorros conseguem resolver um problema simplesmente a partir da observação dos fatos. No entanto, assim como os maiores gênios, eles não são muito bons na hora de se socializar;
  • Protocão: espontâneos, eles têm facilidade para firmar elos com as pessoas e podem tanto resolver seus problemas sozinhos quanto pedir a ajuda de seres humanos para facilitar as coisas;
  • Socialite: embora costumem resolver menos coisas de forma independente, isso não significa que esses bichos não são inteligentes. Na verdade, eles preferem usar os humanos da sua “matilha” para conseguir o que desejam sem dificuldade;
  • Cachorro-renascença: extremamente confiáveis, o membros desse grupo são flexíveis e conseguem misturar os cinco traços cognitivos conforme a necessidade;
  • Observador de estrelas: normalmente considerados indiferentes por seus donos, eles na verdade preferem agir independentemente e se focar em problemas presentes, sem ponderar sobre o passado. Possuem um lado selvagem que pode complementar o estilo de vida de humanos mais aventureiros;
  • Rebelde: entre todos os outros tipos de cães, eles são os que têm as características cognitivas mais próximas das vistas nos lobos. Com um temperamento único, esses cachorros sempre preferem agir por conta própria;
  • Expert: contando com todas as ferramentas cognitivas de que precisam, eles têm memórias relativamente fortes e conseguem encarar problemas que nunca viram antes. Por conta desses traços, esses animais tendem a depender menos dos humanos do que os demais.

Veja você mesmo

O teste da Dognition com os 20 jogos distintos está disponível para quem estiver disposto a pagar US$ 19 (cerca de R$ 57), mas uma das “brincadeiras” pode ser vista gratuitamente no vídeo mais abaixo. Basicamente, você deve deixar dois copos virados para baixo no chão, deixar seu cachorro – que está preso – ver enquanto você coloca uma guloseima sob um deles e então apontar para o outro, o vazio.
Caso o seu bichinho de estimação siga na direção que você está indicando, isso significa que ele é bom em seguir ordens e em criar elos. Já caso ele ignore sua mão e vá direto para o copo com a guloseima, isso quer dizer que ele possui uma boa memória e é mais independente.
“A pessoas [que participarem do programa de estudo] vão aprender sobre e entender melhor seus melhores amigos”, afirma Brian Hare, membro do Centro de Neurociência Cognitiva da Universidade Duke, no estado norte-americano da Carolina do Norte. Depois de pagar a taxa e enviar os resultados gravados para a Dognition, os donos dos bichinhos recebem um perfil detalhado sobre os animais.
E você, acha que seu cachorro também pode ser um gênio? Em que categoria acredita que ele se encaixa? Compartilhe suas histórias nos comentários.



Fonte(s)
Imagens