Boto: O Prazer Vem Das Águas no Amazon!Confira!

segunda-feira, 7 de julho de 2014

Um Café & Duas Palavras,Por Favor! com a Escritora Nell Morato




Minha convidada é uma amiga que encontrei nas "esquinas virtuais" por um infortúnio em minha vida, que acabou me trazendo felicidades do Sul como ela e outro amigo. Considerada muitas vezes polêmica, mas tudo depende de como você a vê. Para mim,inteligente,justa,sincera e se estiver buscando verdade e sinceridade, vai encontrar uma pessoa encantadora, senhoras e senhores recebam minha amiga e Escritora:



NELL MORATO





Minha querida é um prazer tê-la aqui,realmente uma pessoa que tive o prazer de conhecer e ter como amiga.Mas vamos  para nossa conversa? (risos).Onde, como e quando surgiu a Escritora Nell Morato?


No ano de 2012, quando entrei num programa para parar de fumar, o meu cérebro jamais poderia imaginar uma volta ao passado, e com toda a bagagem e experiência adquirida no decorrer dos anos.  Difícil entender?  Eu continuo me surpreendendo com as transformações.  O médico disse que o meu cérebro oxigenou.  Arejou, limpou, voltou a ser jovem, com a mesma determinação que era uma característica da minha vontade. Apaguei as lembranças dos últimos anos de fumante.  Guardei em uma cápsula e abri o velho baú de madeira entalhada, repleto de recordações, planos, projetos e uma vivência feliz e colorida.


Para nossa alegria, minha amiga. Agora me diga,quais são as suas maiores referências literárias?
Nacional:  Érico Veríssimo (ele dizia que não escrevia a vida como ela era, mas como ele gostaria que fosse) e o poeta Mário Quintana. 


Érico Veríssimo
Mário Quintana






Estrangeiro:  Sidney Sheldon, Harold Robbins, Jeffrey Archer (Caim e Abel-imperdível), Dan Brown (a Fortaleza-imperdível). 
Na poesia, aconteceu bem diferente.  Achava poesia muito melancólica, passava longe.  Em dezembro, conheci pela internet um poeta português, que me ensinou e me mostrou a verdadeira poesia.  Não posso mais viver sem poesia.  Quando estou meio down, eu escrevo e fico melhor, é um desabafo.  Encontrei muita coisa dentro de mim.   



Sinto e escrevo a poesia num sentido muito próximo ao teu também.Pois bem,mudando de assunto! Como você vê o momento literário brasileiro?




Não vejo.  Quando uma Editora leva dois anos para avaliar um manuscrito, ou quando as grandes editoras preferem traduzir textos estrangeiros, visando somente o retorno financeiro. Ou quando lançam coletâneas e os escritores precisam pagar para participar, não recebem direitos autorais e ainda precisam adquirir certo nº de exemplares, ou quando um editor fala,  para quem tem QI é mais fácil ter seu livro publicado, onde QI quer dizer “quem indica”. Ou quando  dizem que para ter seu livro publicado, vai lhe custar R$ 16 mil reais, sem despesas de distribuição.  Ou quando, as academias de letras visando apenas o dinheiro,  admitem pessoas sem qualificação  acadêmica  e ficam na internet selecionando  “deslumbrados” para se tornar “imortais” .  Ou quando o governo não se interessa pela nossa cultura e muito menos a educação.  O que vejo é que somos muito teimosos.  E que teremos muito trabalho pela frente. Ainda mais que além de não sermos unidos, temos no meio, muitos egos inflados.



Viram por que gosto tanto dessa moça?(risos), ainda no embalo,há uma questão ebulindo no meio literário e não vejo outra pessoa melhor para  falar sobre. Refiro-me a releitura que será feita da obra de Machado de Assis.

Quando saiu a notícia eu disse que não falaria. É um absurdo reescrever uma de suas obras. "Machado de Assis é obra de arte”  E o motivo é abominável.  Que os jovens não leem porque é muito difícil, ora usem o dicionário, assim quem sabe poderão aprender um pouco mais.  Sou contra!
Eu sou fascinada por arqueologia, história antiga, antiguidades, tanto que uma época,  garimpava livros antigos sob encomenda, para alguns colecionadores.  Como era caríssimo, eu não podia comprar. E era uma maneira de poder consultar os textos, às vezes só admirar, ter nas mãos.  Tentei ler a Ilíada e a Odisseia, de Homero, o original.  Difícil, peguei uma versão moderna, desisti.  Não é a mesma coisa. Minha curiosidade foi mais forte, e li três livros ao mesmo tempo, a Ilíada, a Odisseia e o Dicionário.  Magnífico! Não é possível modernizar o antigo... é  destruição.   




Nell eu sei como você defende a finco a integridade da Língua Portuguesa, e pode, pois tem plena capacidade e talento para a designação. Mas, como você analisa o fato de que sim, pode haver diamantes não lapidados, ou seja, aquele escritor que é excelente na criatividade, na condução de uma história, mas deixa a desejar na escrita? O que você diria para esse colega?


Temos muitos, eu já encontrei vários, ou melhor, eles me encontram. Minha propaganda de revisora fala sobre  reescrever os textos.  Talento nato, mas  na língua portuguesa, um desastre.  É um detalhe apenas, para isso tem remédio, existem os revisores.  Se fosse o contrário?  Um exemplo:  antes da grande virada na minha vida, eu dominava a língua mas não conseguia escrever um bom texto.  Eu não vivo sem um dicionário.  Consultar um dicionário sempre, não só em caso de dúvida, conferir  mesmo.  Ler.  É fundamental a leitura, jornais, revistas, panfletos, até bula de remédio e fazer palavras cruzadas.  Temos revistas baratinhas nas bancas, para enriquecer o vocabulário é excelente.




 Agora, vamos para sua forma de escrita, que particularmente gosto muito, porque vejo que você consegue ser aquilo que também vejo na pessoa, pois para mim é uma pessoa sincera, direta e ao mesmo tempo muito afetiva. Suas belíssimas cartas de amor nos traduz isso. Enfim, quando  a Nell Morato escreve,do que é carregada sua escrita na essência?



Verdade.  E sempre com verdade,  o amor.  Por exemplo, me incomoda muito quando duas pessoas se amam e estão separadas por  “nada”.  É preciso falar, sentar um em frente ao outro e falar.  As pessoas parecem não ter mais tempo para conversar.  Elas apenas se comunicam tecnologicamente. Eu sou apaixonada pelo amor. Já me pediram ajuda, virei cupido e amei!
A coordenadora do programa antitabagismo que eu frequentei, disse-me que nunca havia encontrado uma pessoa como eu.  No início não entendi muito bem o que ela falava.  O senso comum. Eu vivo numa sociedade e fui educada para viver com outras pessoas, a respeitar e ser respeitada.   Quando não sou respeitada, tipo vizinho fazendo barulho, ouvindo música a todo volume,  eu fico furiosa. Se falar não resolver, chamo a polícia.  Existem leis e somos todos iguais para a lei. Eu respeito e exijo o mesmo, é um direito que eu tenho.  Já briguei muito, já consegui leis na Câmara Municipal, para melhorar não só a minha vida, mas a de todos. É o senso comum.  Atualmente estão todos muito egoístas e individualistas. Lamentável.  Realmente, eu procuro falar o que me incomoda para a pessoa, esclarece e fica tudo bem. Tenho pavio curto, o que me salva é que sou educada.





Vamos de Listinha ?




A vida é... um show  (e quero estar sempre no palco)






O lugar dos meus sonhos fica em...  praia





Um gosto...  café






Ainda bem que estamos num...(risos)
Um cheiro... mar
ondas


Uma canção... For You do Coldplay









Um filme...Avatar





Onde você imagina a Escritora Nell Morato daqui há dez anos?


Numa linda casinha, numa praia isolada, muito bem acompanhada, vivendo de amor e literatura.


Links Da Nell:
www.facebook.com/Nell.Morato
www.facebook.com/fragmentosdeumdesejo
 https://plus.google.com/u/0/+NellMorato10/posts
 @moratonell






 Sua mensagem para os leitores do Danka Machine!


Eu e minha amiga Cristiane Vilarinho vamos inaugurar um site, para lutar pela dignidade da literatura e dos escritores brasileiros.  Quando eu falo lutar, não significa usar armas ou atacar pessoas ou a sociedade em geral. Mas sim usar o que temos, as palavras.  Pretendemos unir pessoas de diversos segmentos em torno de nossos escritores e direcionar para a educação.  Só escuto pessoas reclamando das dificuldades, mas nada se faz para mudar a realidade.  Pretendemos começar a mudança.  Mas, sozinhas não vamos conseguir... então estamos buscando parcerias para que juntos possamos chegar onde todos nós queremos... nas prateleiras das livrarias e nas casas do público brasileiro.  Fórmula mágica?  Não temos! O que temos é determinação e muita vontade de conseguir.   E muitos projetos também.  Vamos precisar de toda a ajuda possível, como os seus leitores, por exemplo.  Uma honra estar aqui, expondo minhas ideias.  Obrigado!  As portas de minhas páginas e do site estão abertas, se precisarem, contem comigo! Beijos!   
Nell Morato,muito,muito feliz por ter tido essa oportunidade contigo.Bom demais minha querida! Como não poderia ser diferente deixo aquela música para marcar essa prosa boa que só, e é claro aquela música citada lá em cima! (gargalhadas)
For You do Coldplay
Senhoras e Senhores do Danka Machine nossos
 aplausos a essa
maravilhosa Escritora:
NELL MORATO!