Entre Quatro Paredes e Nada Mais LIVRO

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Três Respostas por Danka Maia


E veio o incrédulo e a três andarilhos indagou:


 _Quem é Deus para você?


 O primeiro levantou-se da sarjeta e bem convicto de sua opinião disse:


 _Sabe quando você quer muito uma coisa, precisa disto, vira caso de vida ou morte? Deus é o cara para quem você pede e Ele te ignora.


 E este era o ateu.


 O Segundo, com dificuldades, apoiou-se na parede e respondeu com tom baixinho,porém também firme:


 _Deus é Aquele que peço e sempre me ouve, sempre me ajuda.


 E este era o humilde.


 Então veio o terceiro homem, pouca estatura, do mesmo modo maltrapilho e em pé replicou:


 _Deus para mim é o vento.


 E então pela primeira vez o incrédulo se manifestou na conversa com certa indignação:


 _Mas como assim Deus é o vento?


 O homem com tranquilidade respondeu:


 _Moço, eu e meus companheiros vivemos aqui, ao leu, na rua, sem teto.Então quando a tristeza me toma, o vento passa e leva toda a aflição com ele. E se me vem à fome, o vento trás alguém que nos dá um pão ou algo semelhante que nos sacie. Se carecer de um alegria, trás uma criança que me arranca o riso sem modéstia. Se há tempestade, logo chuva, raio e frio, o vento vem e dissipa levando embora tudo isso.


 _E quando o vento para simplesmente?- disparou o incrédulo.


 _Sim, por certo a hora que o vento cessa.Entretanto quando isso acontece, cabe a eu entender que por alguma razão fui eu quem saiu da rota dele. Então paro, reflito, converso com meus companheiros e procuro o lugar onde o Vento está, pois não é Ele quem se aparta de mim,são minhas atitudes que o impedem de mover a minha vida. Deus é vento sim, porque de algum modo, seja como for Ele sempre me dá esperança.


 E ainda não compreendendo, o incrédulo retrucou:


 _Mas ainda que o vento faça essas coisas, por que acha que ele é Deus?


 _Porque seja forte ou como brisa o Vento nunca me deixa sozinho.


 E este era o que tinha fé.