Entre Quatro Paredes e Nada Mais LIVRO

terça-feira, 7 de abril de 2015

MINHA CULPA É VOCÊ por Danka Maia




 


Eu me deitei cansada de vigiar teu leito,
O medo é grande de te perder.
Cochilei em assombros escabrosos
Doíam os ossos
Mas então despertei.
Coberta, calada e acolhida.
Sentir tua mão roçando meu rosto
Sereno, doce
Aparente gosto.



Não tem como não culpar-me,
Não há como me abster,
Me assumo,
Minha maior culpa é você.
Quem é mais forte,
Mais fraco,
Mais nobre,
Mais só,
Quem é apenas pó,
Sou eu ou você?
Me calo,
Mas minha culpa tem somente um nome,
O teu.
Permita que eu erre,
Que me sinta humana
Que seja eu
Que seja insana.

Talvez neste teu mundo eu seja a bruxa ou a fada,
Mas rogo, não te calas,
Porque nada dói tanto
Que te ver assim em prantos,
Em lágrimas,
Que não sabem jorrar.
Percebo que te perco
Quando quero te ganhar,
Percebo que deixo ir
Quando quero te encontrar
Eu percebo,
Você visão,
Qual de nós dois são?

Quando do teu mundo saírdes,
Lembra-se de voltar para meus braços,
Eles são espaço
Quando você não está
Pois de tudo que posso ser
Quando tu sofres,
Eu sou apenas o que se vê,
Isto,

A minha culpa por você.